SEAT Ibiza FR – Manter o bom legado em boa forma!

Equipado com o motor 1.0 TSI de 115 cv e caixa DSG, terá a quinta geração do utilitário espanhol argumentos suficientes para fazer frente à concorrência?

SEAT
Utilitário
SEAT Ibiza FR 1.0 TSI 115cv DSG

No mercado desde 1984, o SEAT Ibiza tornou-se desde cedo um ícone para a marca espanhola. Originalmente concebido por Giorgetto Giugiaro, o famoso hatchback conta já com cinco gerações, sendo esta última a mais avançada e segura de sempre. Volvidos três anos do lançamento desta geração, fomos perceber quais as virtudes do espanhol, ao volante da versão FR com a motorização mais potente disponível em Portugal.

SEAT Ibiza 38

A quinta geração do hatchback espanhol surgiu no mercado em 2017 e veio para continuar um legado que já dura há mais de três decadas. O utilitário da casa de Martorell é um dos quatro pilares da marca e até há bem pouco tempo o seu “best-seller”, ultrapassado pelo Leon. Assente sobre a plataforma compacta MQB A0 do Grupo Volkswagen (a mesma do Arona, ou do Skoda Scala, por exemplo) viu o seu espaço a bordo crescer face à geração anterior.

Por fora, mantém as mesmas linhas vincadas que o caracterizam e que favorecem bem no contraste de luz e sombra. Em contraste com a pintura “Vermelho Desire” (650€) assentam umas jantes de 18” em tom preto maquinadas a trabalhar em conjunto com amortecedores de regulação hidráulica (opcional 650€). Estas, em conjunto com os para-choques e ponteiras cromadas, dão o mote final num conjunto mais desportivo nesta versão FR. Já os faróis Full LED, tanto na dianteira como na traseira, são de série e conferem uma assinatura triangular distintiva dos modelos da marca espanhola.

Por dentro

O habitáculo do SEAT Ibiza, que acaba por ser herdado depois por outros modelos da marca (como o Arona), conta com alguns acabamentos em pesponto vermelho típicos das versões FR. Por outro lado, tanto as portas, consola central e outros locais acabam por fazer uso de plásticos duros, que deixam um pouco a desejar face ao restante conjunto. E nem mesmo o tablier em “preto piano” se safa por ser um “íman” de riscos e dedadas (ainda que não destoe no conjunto). No entanto, o ponto positivo vai para a qualidade de construção, herdando a exigência alemã do grupo VW, ausente de ruídos parasitas.

Ao volante, é fácil encontrar uma posição confortável e os bancos acabam por conferir um bom apoio, mesmo sendo de tecido e de regulação manual. Nos bancos traseiros é possível viajar sem restrições ao nível de espaço para as pernas ou cabeça, contando ainda com 355 litros de capacidade na bagageira – uma referência no segmento – e que pode chegar aos 1165 litros com os bancos traseiros rebatidos. Aqui, e por baixo do piso, é possível encontrar ainda uma roda suplente (opcional, 85€). Graças ao pacote inverno (350€) o SEAT Ibiza inclui ainda ainda bancos, jato de água do limpa para-brisas e espelhos retrovisores elétricos, todos aquecidos.

O painel de instrumentos nesta versão é analógico e conta com um TFT monocromático auxíliar que chega para a necessidade. No entanto, e como opcional, existe a possibilidade de equipar um painel de instrumentos digital por mais 307€.

Tecnologia

Ao nível tecnológico, mesmo não estando ao nível do novo Leon, acaba por equipar bons sistemas que lhe permitem ficar a par com a concorrência. Nem que isso signifique uns “euros” extra na fatura final. Começando com o sistema de info-entretenimento tátil de 8” (815€) com acesso ao SEAT Full Link (opcional, 150€). Este inclui ligações a Apple CarPlay, Android Auto ou MirrorLink, e que é praticamente obrigatório nos dias que correm. O sistema tátil acaba por ser bastante intuitivo, mas ainda assim requer alguma habituação antes de o comandar em condução para evitar distrações. Ainda assim, e contrariamente ao “irmão” Leon de última geração, encontramos ainda os bons e “velhos” comandos físicos de climatização. Estes permitem uma interação facilitada comparativamente aos sistemas totalmente digitais, especialmente durante a condução.

Geração Digital. Ao volante do SEAT Leon. O melhor de sempre?

O Familiar da SEAT chega à quarta geração e fomos testar a versão 1.5 e-TSI. Todos os detalhes e a análise completa neste artigo.

Read more

Conjuntamente com o sistema de info-entretenimento, a versão ensaiada incluía ainda o sistema de som BEATS AUDIO (450€), que mesmo sendo de boa qualidade, não se torna indispensável. A auxiliar as manobras de estacionamento, está ainda disponível uma câmara de visão traseira (525€), que inclui sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e que se revela bastante útil nas manobras do dia-a-dia. Ao nível da segurança e sistemas de ajuda à condução, o SEAT Ibiza vem equipado com Cruise Control Adaptativo com sistema Front Assist, parte do pacote de segurança (450€), que inclui ainda sistema keyless e alarme volumétrico (250€).

Ao volante

Com um target maioritariamente jovem, o SEAT Ibiza FR mantém uma postura mais dinâmica em estrada mas que lhe permite um desembaraço em cidade digno de um citadino. A equipá-lo está o grupo propulsor 1.0 TSI de 115 cv e 200 Nm, com caixa DSG de sete relações, capaz de atingir uma velocidade máxima de 193 km/h e cumprir a barreira dos 0-100km/h em 9,5s.

Dotado de quatro modos de condução distintos e que lhe permitem adotar uma postura adequada a cada propósito, é possível ter vários carros num só. No modo “Eco”, uma condução que dá primazia a passagens de caixa mais prontas de forma a reduzir o consumo. Em modo “Sport”, o pequeno motor tricilíndico prefere atingir rotações mais elevadas antes de cada passagem, de forma a tirar melhor partido do binário. No meio, encontramos o modo “Normal”, para uma condução mais despreocupada ou até mesmo o “Individual”, que permite parametrizar ao gosto do condutor.

A suspensão de regulação hidráulica acaba por se adaptar bem ao piso e permite um bom auxílio quando em curva. Mas é no piso mais irregular que se mostra menos propícia a abafar as deformações, especialmente no modo “Sport”. A travagem tem uma boa afinação e acaba por dar uma certa confiança na hora de atacar estradas mais serpenteadas. Fazendo uso dos comandos sequenciais no volante conseguimos tirar ainda melhor partido das reduções de caixa para auxiliar nas entradas em curva.

Ainda assim…

Já nos consumos é onde o SEAT Ibiza acaba por perder pontos, já que estes ficam bem longe dos anunciados pela marca. Num regime maioritariamente citadino e sem preocupações na regulação do pé direito, os valores registados fixaram-se próximo dos 7 litros por cada 100 km. Ainda assim, em estrada e fazendo primazia do modo Eco, os valores acabam por se aproximar mais dos 6 litros.

Outro fator que poderá pesar no consciente é o facto do Ibiza ter uma longa lista de opcionais que podem encarecer a fatura final e elevá-lo a valores próximos de segmentos acima. Tudo dependerá do gosto… e da carteira! Com um preço base de 22 353€, o SEAT Ibiza FR com os extras mencionados acima como os da unidade ensaiada, tem um preço de 27 905€.

Conclusão

O SEAT Ibiza continua a ser uma das referências do segmento B e tem tudo para continuar a ser um dos favoritos. De espírito e aparência jovial, traz consigo espaço de sobra para uma pequena família. Perde pontos apenas para os materiais interiores e em consumos, mas acaba por compensar depois na agilidade e dinâmica em estrada.

Ficha Técnica

Cilindrada

999 cm3

Cilindrada

200 Nm

Binário Máximo

115 cv

Potência

Cilindrada

9,5 s

0-100 KM/H

193 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

6,1 l/100 km

Combinado

7,0 l/100 km

Registado

140 g/km

Emissões CO2

Cilindrada

22 353€

Base

27 905€

Ensaiado


Thumbs UpEspaço a bordo. Equipamento. Agilidade.

Thumbs DownPlásticos interiores. Consumos.