Levámos a nova Isuzu D-Max por maus caminhos, e gostámos!

A Isuzu D-Max evoluiu significativamente no refinamento e qualidade, mas também ao nível da motorização. Fomos comprová-lo por maus caminhos.

Isuzu
Pick-up
Isuzu D-Max Cabine Dupla 4x4 LSE Auto

O mercado das pick-up não está de facto em altas, como aliás já aqui tínhamos referido. No entanto, se há marcas que começam a descartar as suas propostas neste segmento, outras há que têm nos seus modelos importantes nomes e um considerável número de vendas na sua gama. A Isuzu já leva mais de 100 anos na construção de viaturas comerciais, e tem um historial de mais de seis décadas de experiência no desenvolvimento de Pick Ups a nível global. A nova Isuzu D-Max reflete tudo isso.

A nova geração recebe um estilo mais arrojado mas mais importante do que isso, vê chegarem significativas melhorias ao nível do conforto, do equipamento e tecnologia, mas também da qualidade. Também foram introduzidas alterações técnicas ao nível do motor, chassis e suspensão, com o objetivo de aumentar não só a eficiência, como as performances.

Mais moderna, robusta e… apelativa!

No exterior contamos com novas óticas dianteiras e traseiras em LED com novos para-choques, sendo que o traseiro facilita o acesso à área de carga através do degrau existente. As novas jantes de liga leve são de maiores dimensões. As portas mais largas favorecem a acessibilidade e aumentam a sensação de robustez, bem como a presença em estrada. Também a altura ao solo aumentou para cerca de 240 mm. Tudo isto, juntamente com uma secção frontal onde a imponência é conseguida com uma grelha de generosas dimensões, e esta pintura laranja que contrasta com os guarda-lamas e outras guarnições em escuro, impossibilitam-na de passar despercebida.

As câmaras e sensores de estacionamento são uma preciosa ajuda para o dia-a-dia, principalmente quando temos que nos deslocar dentro da cidade. Tal como acontece em muitos outros segmentos, também as pick ups têm vindo a aumentar as suas dimensões. Mesmo as versões europeias caminham a passos largos para se aproximarem bastante das versões americanas. A Ford Ranger Raptor é a prova disso mesmo.

Esta geração da Isuzu D-Max recebeu 5 estrelas nos testes EuroNCAP. Foi a primeira pick up a consegui-lo!

No interior temos mais espaço, com novos bancos a garantirem melhores níveis de conforto, mas também melhores materiais, mais agradáveis ao toque. A Isuzu D-Max está longe de ser a pick-up mais refinada, nem é esse o seu propósito, mas também já não desilude cumprindo aquilo que se pode exigir de um automóvel que seja para trabalho, seja para lazer, se quer robusto e resistente. Nos lugares traseiros a D-Max também está longe de ser a melhor mercado tanto em espaço, como em conforto.

Isuzu D-Max renovada com cinco estrelas Euro NCAP

A nova geração da Isuzu D-Max, já disponível nos concessionários, revolucionou o seu design e consegue cinco estrelas no teste do Euro NCAP.

Read more

Ao volante passamos a contar com novos sistemas de assistência à condução que englobam sistemas de segurança ativa e passiva, e que favorecem a segurança, mas também a comodidade. Para além disso dispomos de uma espécie de sistema de info-entretenimento. Na prática serve para pouco mais do que mudar a estação do rádio já que a navegação não está disponível e a climatização tem comandos independentes, felizmente. Ao centro do painel de instrumentos encontramos um ecrã a cores onde aí sim temos toda a informação necessária, incluindo a distribuição do binário entre cada uma das quatro rodas. A posição de condução é muito elevada, típica deste tipo de proposta, assim como o comportamento da traseira com ausência de peso. Ainda assim, é por demais evidente a melhoria nas suspensões que sabem agora como lidar com os maus pisos, favorecendo significativamente o conforto.

Evolução sentida na estrada, e fora dela…

As pick ups têm se transformado em muito mais do que apenas veículos de trabalho. Em 2018 percorremos vários quilómetros com a Isuzu D-Max na sua versão PRO RACING, uma edição especial e limitada da Isuzu D-Max, que serviu para a homologação da versão de competição da equipa Prolama no campeonato de todo-o-terreno. Algo que ficou documentado na nossa Magazine Nº70. Isto apenas para referir que, não é preciso recuar muitos anos para constatarmos a evolução do segmento a este nível. Concretamente em relação à Isuzu D-Max, as melhorias como referi são muitas, e significativas. As principais residem no interior, tanto ao nível da qualidade, como ao nível da tecnologia presente, mas há mais…

A Isuzu D-Max passou a dispor de um bloqueio de diferencial traseiro, responsável pela transmissão da potência a ambas as rodas do eixo traseiro, numa proporção de 50/50. Este facto é responsável pela melhoria no desempenho sobretudo em pisos escorregadios ou em situação de cruzamento de eixos. Fora de estrada a D-Max é uma referência, e não se nega a rigorosamente nada. As brincadeiras com a traseira são possíveis, mas a caixa automática é lenta na sua atuação e acaba por estragar a diversão, mesmo em modo manual onde acabamos por fazer a maior utilização. Depois do confinamento, nem imaginam as saudades que já tínhamos de uma tração traseira em fora de estrada…

O bloco 1.9 l Diesel com 164 cv e 360 Nm, longe de algumas referência do mercado, tem força suficiente e peca apenas no refinamento. Ainda assim, permite boas prestações e, acima de tudo, consumos surpreendentes. Com muito fora de estrada, acabámos o nosso ensaio com uma média de 9,7 l/100 km. Contudo, numa utilização estradista sem o trânsito da cidade ou as “dificuldades” do fora de estrada, são possíveis valores de 8 l/100 km, o que é verdadeiramente bom para o tipo de proposta.

Naturalmente que a gama Isuzu D-Max contempla todas as versões de cabine simples, longa e dupla com versões 4×2 e 4×4. Todas equipadas sempre com o motor 1.9 l de 164 cv e caixa manual de seis velocidades, sendo esta versão aqui em ensaio a única disponível com uma caixa automática de seis velocidades. Se vale a pena os mais de 2500€ de diferença? Sendo esta uma versão mais vocacionada para o lazer do que para o trabalho, definitivamente que não. Sabemos bem o gozo que uma caixa de velocidades manual representa na condução de uma pick-up em fora de estrada!

<

Depois deste ensaio à Isuzu D-Max, ficou prometido um comparativo de pick ups para breve… Se é um conteúdo que também te interessa, está atento ao nosso Instagram!

Conclusão

A nova Isuzu D-Max representa uma grande evolução face à anterior. Ganhou algum refinamento geral, mais qualidade e equipamento, e mantem-se como referência quando o objetivo é ir bem para além do asfalto. Consegue bons consumos, mesmo com uma caixa automática pouco interessante e é, acima de tudo, bastante segura em todas as situações.

Ficha Técnica

Cilindrada

1898 cm3

Cilindrada

360 Nm

Binário Máximo

164 cv

Potência

Cilindrada

12,5 s

0-100 KM/H

180 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

9,2 l/100 km

Combinado

9,7 l/100 km

Registado

241 g/km

Emissões CO2

Cilindrada

46 065€

Base

50 005€

Ensaiado


Thumbs UpConsumos. Robustez. Segurança.

Thumbs DownCaixa de velocidades automática. Info-entretenimento. Refinamento do motor.