Hyundai Bayon. Tudo o que interessa ao volante do novo crossover coreano!

A Hyundai arrisca e traz mais um modelo para o segmento B-SUV, o Bayon. Será assim tão distinto do irmão Kauai? Haverá espaço para os dois?

Hyundai
B-SUV
Hyundai Bayon 1.0 T-GDI 7DCT Premium

Com uma ofensiva de produto muito forte, o grupo Hyundai/Kia continua a manter um ritmo alto de novidades no mercado. Aqui temos o nosso primeiro contacto com mais um competidor para o super-povoado segmento B-SUV, o Hyundai Bayon. Baseado na nova geração do i20 o Bayon abdica do visual mais “asuvizado” do Kauai, sem o aspeto mais encorpado e sem a altura ao solo adicional.

Desse modo, o Hyundai Bayon recebe uma carroçaria específica, com um desenho próprio, que nos parece menos consensual do que o i20. Com uma traseira bastante angulosa, o Bayon recebe também algumas referências do Kauai tais como a iluminação diurna LED.

O novo modelo da Hyundai tem como concorrentes o SEAT Arona ou o Ford Puma, para citar apenas alguns. Ainda que no mesmo segmento, alguns B-SUV continuem a competir mais com o Kauai, que é ligeiramente maior, mas que nem por isso oferece mais espaço. Contudo, a principal diferença não reside nas dimensões, mas sim na forma. Enquanto o Hyundai Kauai ostenta um visual mais “aventureiro” e dinâmico, o Bayon assume um papel mais citadino e de certa forma “familiar”. A confirmá-lo está a superior capacidade da bagageira face ao seu irmão. Já quando comparado com as restantes ofertas do segmento, falta-lhe apenas alguma versatilidade.

A outra diferença está na oferta de motorizações. O Hyundai Kauai oferece três opções, gasolina, Diesel e ainda 100% elétrico, ao passo que o Bayon está apenas disponível com uma motorização 1.0 T-GDI a gasolina.

Hyundai i20 fornece a base, mas há alterações específicas

As quotas de espaço foram uma das preocupações dos técnicos da Hyundai, dado que o Bayon apresenta um aumento efetivo no espaço não só o oferecido aos ocupantes, mas também na bagageira reforçada para 410 litros de capacidade. Os dois passageiros traseiros têm, assim, mais espaço para as pernas e para a cabeça e contam adicionalmente com ligações USB.

Ainda no interior, o Hyundai Bayon recebe, sem surpresas, o mesmo habitáculo do i20. Composto por materiais inteiramente duros, mas com uma montagem correta. Temos espaços de arrumação nas portas, bem como no apoio de braço. O smartphone pode ser colocado num compartimento em frente à caixa de velocidades. A posição de condução tem vários ajustes, apesar dos bancos parecem um pouco esponjosos.

O info-entretenimento possui Apple Carplay sem fios e Android Auto, o funcionamento é simples e o ecrã de 8″ é bom. Também o painel de instrumentos recorre a um ecrã que permite escolher entre vários temas mas sem perder acesso ás funções do computador de bordo. A climatização automática tem comandos segregados do info-entretenimento, o que saudamos. Por outro lado falta-lhe alguma cor e vida ao interior, tal como encontramos no irmão Kauai que disponibiliza packs de cores que atribuem cor a vários itens do interior como superfícies da consola ou os cintos de segurança.

Este é o “novo” Hyundai Kauai 2021. TUDO o que mudou!

Mais tecnologia, novo visual e motorização revista… não é preciso mudar a “fórmula” para continuar a ser um dos favoritos.

Read more

Uma motorização e um nível de equipamento

Disponível em Portugal apenas na versão Premium, e sem qualquer opcional que não seja a pintura metalizada, o Hyundai Bayon tem uma lista de equipamento muito completa, que inclui camara traseira, alarme, ligações Apple Carplay e Android Auto e cruise-control. Todavia, também o AC automático, os vidros traseiros escurecidos e as ajudas à condução fazem parte do equipamento de série desta versão. Com efeito, estas incluem a travagem de emergência e o sistema de manutenção na faixa.

A única motorização disponível para o Hyundai Bayon é o nosso bem conhecido 1.0 T-GDi de 100 cv, um três cilindros turbo a gasolina que debita 100 cv de potência e 172 Nm de binário. Foi também com esta motorização que testamos o Hyundai i20, num ensaio que podes ler aqui. Contudo, nesta ocasião temos a caixa automática 7DCT, de dupla embraiagem, opcional por cerca de 1600€.

Caixa DCT acrescenta conforto

A caixa automática DCT de sete velocidades revelou-se uma excelente aliada em cidade, proporcionando maior conforto de utilização. Suave nas passagens bem como rápida qb, está corretamente adaptada a esta motorização. Todavia, as reduções podiam ser mais rápidas ao passo que revelou alguma tendência para não antecipar reduções em descidas, colocando o Bayon demasiado solto. Nota-se uma afinação mais adequada ao conforto de utilização e para uma utilização pacata. Ainda assim, quando espicaçado, o Bayon é despachado com o pequeno três cilindros a fazer-se ouvir com um

Os 100 cv do 1.0 T-GDI do Hyundai Bayon permitem andamentos corretos fora da cidade apesar do reduzido binário, com o turbo a dar uma ajuda crucial. Durante os quilómetros que realizamos conseguimos médias a rondar os 6 l/100 km, sendo que este motor continua a ser um pouco gastador no trânsito. Ainda na cidade encontramos uma das virtudes do Bayon, o conforto. As jantes de 17″, que chegam perfeitamente para este B-SUV e algumas alterações à suspensão fazem dele um citadino confortável, mesmo em zonas de mau piso. Apesar dos materiais mais duros no interior, o Bayon revela robustez.

O Hyundai Bayon tem um preço em Portugal de 21 800 € na versão 1.0 T-GDi Premium e o único opcional é a pintura metalizada, 430€, e a caixa automática 7DCT (1600€). Com a campanha de financiamento a decorrer o preço baixa para os 20 300€. Um valor que se revela enquadrado no segmento face à completa dotação de equipamento de série.

Conclusão

Com uma forte ofensiva de produto a decorrer, o Hyundai Bayon é mais uma peça para a gama SUV do construtor coreano. Com um visual menos distinto do que o Kauai, aproveita muitas das qualidades do i20 para reforçar atributos familiares como o espaço e o conforto. A estes adiciona uma completa lista de equipamento de série e, neste caso, uma caixa automática que em conjunto com o motor 1.0 permite bons andamentos e consumos comedidos.

Ficha Técnica

Cilindrada

998 cm3

Cilindrada

171 Nm

Binário Máximo

100 cv

Potência

Cilindrada

11,7 s

0-100 KM/H

180 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

5,5 l/100 km

Combinado

6,0 l/100 km

Registado

124 g/km

Emissões CO2

Cilindrada

21 800€

Base

22 230€

Ensaiado


Thumbs UpEquipamento. Conforto. Preço.

Thumbs DownPlásticos Interiores e sobriedade do interior.