Já conduzimos a Mercedes-Benz Classe X V6, a mais potente do mercado

Percorremos cerca de 1000 km ao volante da nova Mercedes-Benz Classe X V6 que já chegou a Portugal. A versão X350d está disponível a partir de 64 292€.

Sem grande historial no que diz respeito à produção de pick-up, a verdade é que já por diversas vezes que a Mercedes-Benz havia tentado a produção em massa de uma carrinha de caixa aberta. Objetivo alcançado em 2017 com o lançamento da Mercedes-Benz Classe X apresentada no ano anterior em forma de concept, no Salão de Genebra de 2016.

Usufruindo da aliança estratégica com o grupo Renault-Nissan, a marca alemã pôde finalmente alcançar o objetivo, colocando no mercado uma proposta que, com base e partilhando elementos importantes com a Nissan Navara, consegue diferenciar-se das restantes, destacando-se no segmento, senão vejamos:

Pegando numa excelente e comprovada base, a Mercedes-Benz alterou o esquema de suspensões. Contamos com a utilização de um eixo posterior multi-link de cinco braços com molas helicoidais, com uma calibragem específica e muito precisa entre mola e amortecedor. O eixo dianteiro é completamente novo, tem uma arquitetura com suspensão de travessas duplas, que permitiu um aumento de largura de 70 mm. A tudo isto acrescentem-se as molas independentes em cada um dos eixos. O resultado é normalmente o oposto do conceito pick-up ─ conforto e dinamismo!

E se há alguém que pode efetivamente comprovar o resultado das alterações implementadas pela Mercedes-Benz é o Clube Escape Livre, que recebeu uma das primeiras unidades matriculadas em Portugal, com a qual tem descoberto novos trilhos e caminhos para os seus eventos. Para além disso, foi o responsável pela apresentação nacional da Mercedes-Benz Classe X. Ao todo, já percorremos mais de 30 mil km ao volante da pick-up Mercedes-Benz.

O mercado das pick-up tende a aumentar significativamente até 2026

De facto a Classe X consegue quase a mesma dinâmica de um SUV, com a condução típica dos modelos da marca através de uma correta posição de condução, mesmo sem regulação longitudinal da coluna de direção. Depois, a ergonomia dos comandos é típica da marca alemã com comandos simples e intuitivos, incluindo o que permite comutar a tração da Classe X V6, herdado da irmã francesa.

O bom acerto da suspensão é notório por mais duro e pedregoso que seja o terreno. Mesmo com jantes de 19″, o conforto está muito acima da média no segmento bem como a insonorização.

Classe X V6 e 258 cv!

Mas vamos ao que interesse e ao que diferencia esta versão X350d da Classe X ─ o bloco V6 3.0 litros com 258 cv de potência, que faz desta a pick-up mais potente do mercado. Aquela que tem o máximo pedigree da Mercedes-Benz e que mais nos agradou conduzir.

Ao equipar a Classe X V6 com um bloco de origem Mercedes-Benz, a marca conseguiu um produto com mais identidade e personalidade, desde logo pela inclusão da caixa de velocidades 7G-TRONIC, única disponível e que, para além de permitir passagens mais rápidas, inclui patilhas no volante. Em modo automático a caixa prima por passagens suaves, sem que o motor entre em algum esforço, como acontece na versão X250d. No entanto, para se dar uso aos comandos por detrás do volante, é necessário selecionar o modo manual, caso contrário a solicitação do condutor é pura e simplesmente, ignorada.

Ainda assim, a Classe X V6 responde de uma forma sempre pronta e com uma disponibilidade que agrada, colocando-se facilmente a velocidades insuspeitas para uma pick-up.

Fizemos aproximadamente 1000 km com a Mercedes-Benz X350d e comprovámos o bom casamento do bloco V6 com um chassis que dispensa apresentações e que é referência no segmento

A Classe X V6 está disponível apenas nos dois níveis de equipamento superiores ─ Progressive e Power ─ tendo esta última um valor acrescido de 4261€. Adiciona estofos em pele, bancos da frente ajustáveis eletricamente e com apoio lombar, ar condicionado automático Thermotronic, faróis LED e sistema de luzes inteligentes bem como retrovisores com rebatimento elétrico, para além das jantes de liga leve de 18″. De série a X350d ─ Progressive ─ já inclui alguns items de conforto e segurança como o acesso sem chave, o assistente de faixa de rodagem, sensores de chuva e luz, cruise control, assistente de sinais de trânsito, entre outros como o DYNAMIC SELECT que permite selecionar cinco modos de condução ─ Eco, Comfort, Sport, Manual e Offroad.

Cinco modos de condução

O modo Comfort está selecionado por defeito após arranque do motor. O modo ECO atua apenas na caixa de velocidades com passagens de caixa a relações mais baixas para favorecer os consumos. O modo Sport altera a resposta do acelerador, mais espontânea, enquanto a caixa de velocidades passa a usar toda a faixa de rotação do motor. O modo Manual permite ao condutor usar a caixa de velocidades em modo manual e utilizar as patilhas do volante com passagens de caixa mais rápidas face aos modos Comfort e ECO. Por fim, o modo Offroad, apenas selecionável em modo “4H”, adapta a caixa de velocidades e o acelerador da Classe X V6 a condições de fora de estrada, e desliga o sistema start/stop.

Chegamos ao capítulo da tração, mais um item onde esta X350d difere de todas as restantes versões ─ X220d e X250d ─ a tração! A Mercedes-Benz optou por equipar a versão mais potente da Classe X com um sistema de tração integral 4MATIC permanente, o que se justifica pelos valores de potência e binário. Se para os mais experientes e em fora de estrada a tração traseira era a cereja no topo do bolo, seria ao mesmo tempo difícil controlar a traseira com tanta potência e binário, nomeadamente em piso escorregadio e sem peso.

Palavra de ordem: Eficácia!

Ainda assim a distribuição da tração, a cargo do diferencial central, é de 40/60 para o eixo traseiro, o que permite manter um comportamento previsível e até divertido, assegurando a segurança e eficácia da Classe X V6.

O seletor permite comutar entre a tração integral permanente gerida eletronicamente pelo sistema 4MATIC, o modo “4H” que distribui a tração entre os dois eixos numa relação de 30 até 70%, e as redutoras ─ 4L ─ com uma desmultiplicação maior para situações de muita lama, areia, ou na transposição de obstáculos com maior nível de dificuldade. A tração é distribuída 50/50 entre cada eixo.

O sistema de controlo da velocidade em descidas é de série na X350d e o bloqueio do diferencial traseiro está disponível como opção. Honestamente… pouca falta faz. O controlo de tração permite ser desligado e quando assim mantém-se inativo, o que permite algumas ousadias com o eixo traseiro.

Classe X em maus caminhos…

Na prática a Mercedes-Benz Classe X ultrapassa todos os obstáculos e poucos são aqueles que exigem o recurso ao seletor da tração. A pick-up alemã evidencia uma boa capacidade de gestão da tração em qualquer situação, até porque os ângulos de ataque, saída e ventral são os melhores do segmento.

Depois de alguns quilómetros em estrada até Évora, onde comprovamos o superior conforto da Classe X, entrámos nos trilhos que nos levam a atravessar a Serra d’Ossa. Entre caminhos enlameados pelas águas das últimas chuvas, subidas íngremes com pedra solta, vários cruzamentos de eixo e alguns corta-fogos, a versão mais potente da Classe X nunca precisou de segundas oportunidades, e revelou uma enorme robustez. O único ponto menos positivo são naturalmente os consumos, adequados a uma versão V6 com 550 Nm de binário e uma disponibilidade constante. Valores inferior aos dez litros são difíceis, e os mais prováveis para explorar o potencial do bloco rondam os doze.

Mercedes-Benz Classe X versão de 3 lugares

A Classe X V6 ─ X350d ─ também está disponível na versão de três lugares, beneficiando da equiparação fiscal a comerciais, ou seja, deduzindo o IVA da aquisição para empresas. A dedução do IVA da aquisição só é permitida para versões de caixa aberta até três lugares, com ou sem tração total e independentemente da estrutura da cabine, desde que a exploração do veículo não constitua objeto de atividade da empresa que o adquire.

Mudam-se os tempos…

É importante perceber que… mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. O que outrora foi pensado para ser um automóvel de trabalho, preparado e vocacionado para transporte de carga, hoje em dia acaba por ter uma utilização distinta, muitas vezes direcionada para o lazer, descoberta e prática de uma modalidade que tem hoje cada vez mais adeptos, o todo terreno. É aqui que o prazer de condução e os pormenores como a disponibilidade do motor e a resposta da caixa de velocidades fazem toda a diferença.


CONCLUSÃO: Naturalmente que a Mercedes-Benz não inventou a roda, mas conseguiu objetivamente torná-la bem mais interessante e polivalente. A Classe X V6 (X350d) é uma pick-up com excelentes performances que combina um chassis com uma relação rigidez/conforto sem igual no segmento e que não tem medo de qualquer obstáculo. Esta sim, é uma Mercedes-Benz! Conforto, performances e equipamento estão ao nível dos padrões da marca alemã.


Estas foram as primeiras imagens da Mercedes-Benz Classe X em território nacional, e foram recolhidas por nós.

Resumo

Cilindrada: 2987 cm3

Binário Máximo: 550 Nm

Potência: 258 cv

0-100 KM/H: 7,9 s

Velocidade Máxima: 205 km/h

Combinado: 8,8 l/100 km

Registado: 12 l/100 km

Emissões CO2 : 230 g/km

Base: 64 292€

Ensaiado: 73 819€

Disponibilidade e entrega do motor. Estabilidade e conforto em estrada. Capacidade de tração em fora de estrada.

Patilhas sem resposta em modo automático.