Miguel Oliveira larga KTM e assume o volante do Hyundai i30 N TCR

Miguel Oliveira colocou de parte a KTM do Moto GP para repetir a experiência de 2021 quando alinhou no Estoril com um Porsche 911 GT3 Cup 3.8 ao lado do pai, Paulo Oliveira.

Miguel Oliveira colocou de parte a KTM do Moto GP para repetir a experiência de 2021. Nessa altura alinhou no Estoril com um Porsche 911 GT3 Cup 3.8 ao lado do pai, Paulo Oliveira. Desta feita e assente na sua função de embaixador da Hyundai Portugal, Miguel Oliveira volta a juntar-se ao pai mas ao volante de um Hyundai i30 N TCR inscrito pela Hyundai Portugal e no Campeonato de Portugal de Velocidade.

O Circuito de Vila Real está de regresso depois de dois anos de ausência devido à pandemia de Covid-19. Assim, nos próximos dias 1 a 3 de julho, a “Bila” vai voltar a acolher o WTCR. E o Campeonato de Portugal de Velocidade.

Miguel Oliveira colocou

Miguel Oliveira colocou de lado a KTM da equipa oficial da marca de Mattighofen para regressar aos automóveis. Se o ano passado andou de Porsche e não se deu nada mal. Desta feita o piloto português do Moto GP estará ao volante de um Hyundai i30 N TCR.

O pai, Paulo Oliveira, estará a seu lado. Isto numa jornada que promete muita emoção e adrenalina para o piloto que já expressou a sua paixão pelas quatro rodas.

Miguel Oliveira larga KTM para experimentar as 4 rodas

Esta participação de Miguel e Paulo Oliveira é mais um marco de quatro anos de parceria entre o piloto do Moto GP e a Hyundai. O piloto português já tinha experimentado os carros de competição da marca coreana, nomeadamente, em 2018, o i20 R5 de ralis. 

Por outro lado, Miguel Oliveira esteve na génese de uma série especial do Hyundai i20 com o seu nome.

Sérgio Ribeiro, CEO da Hyundai Portugal, referiu que “a participação do nosso embaixador Miguel Oliveira no Circuito de Vila Real, ao volante do Hyundai i30 N TCR enche-nos de orgulho. E temos a certeza de que a sua presença vai atrair muitos fãs para o evento.”

Para Miguel Oliveira, esta é uma participação muito desejada. “Para quem tem adrenalina no sangue não posso dizer que vou passear, mas sim dar o meu máximo. Este convite da Hyundai para participar nesta prova, que poderia ser um rali, era algo previsto. E que o cancelamento da prova do Moto GP na Finlândia ajudou a acelerar.”  

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!