Dodge Omni GLH. O coiote americano que poucos conhecem!

Os Pocket Rocket não são assim tão recentes, e muito menos se fazem apenas de modelos europeus e siglas GTI e RS… O Dodge Omni é prova disso.

Hoje trazemos aqui a história de um Pocket Rocket que, provavelmente, desconhecias. Quando falamos num pequeno utilitário com motor de quatro cilindros Turbo, tração dianteira e uma condução divertida e interativa, pensamos de imediato num qualquer modelo europeu com siglas como GTI, ST ou RS…

Mas aqui não é o caso! Falamos sim do Dodge Omni GLH. Uma proposta da Chrysler na década de 80, praticamente única entre os fabricantes norte-americanos.

Goes like hell

Desenvolvido com o objetivo de batalhar o, então novo, VW Golf e oferecer aos americanos uma solução económica para a crise energética da época, o Dodge Omni ficou aquém dos objetivos comerciais da Chrysler, tal como muitos outros dos seus “compatriotas” que ofereciam propostas menos económicas, de baixa qualidade e reduzida fiabilidade, face à concorrência europeia.

Este insucesso comercial não impediu, no entanto, a Dodge de avançar com a versão desportiva do Omni, o GLH.

Motor mais potente, suspensões refinadas e pneus mais largos e aderentes. Tudo isto associado a uma estética repensada onde não podiam faltar os, muito típicos, faróis de rally Bosch no para choques frontal. Deste modo, o Dodge Omni recebeu o verdadeiro estatuto de Pocket Rocket.

O quatro cilindros turbo de 2.2 l, conhecido como Turbo I, permitia uma potência de cerca de 150 cv e 230 Nm, valores muitíssimo respeitáveis à época, e que faziam jus ao nome Goes Like Hell (GLH).

Dodge e… Caroll Shelby!

Carroll Shelby é sobretudo conhecido pelo seu trabalho nos modelos da oval azul. No entanto, foi pelas mãos desta lenda texana que nasceu a versão vitaminada do Omni. Este trouxe o seu conhecimento das pistas e, sobretudo, aquilo que melhor se fazia na Europa, dada a sua ligação privilegiada à indústria automóvel do velho continente.

A sua influência no projeto resultou na compra, por parte da sua empresa, das últimas 500 unidades do modelo, para a produção do GLHS (Goes Like Hell S’more).

Estes exemplares foram transferidos para as instalações da Shelby Automobiles, na Califórnia. Ali foram extensivamente alterados, vendo a sua potência aumentada para 175 cv. O incremento deveu-se a novos coletores de escape, cablagem revista, turbo maior, adição de um intercooler e nova admissão e radiador.

A suspensão foi também alvo de upgrades com molas mais rígidas e amortecedores ajustáveis Koni. Para além disso, foram ainda alteradas as jantes e pneus para um conjunto mais leve e eficaz.

Dodge Omni Shelby GLHS The Shelby Times

Com o propósito de as destacar das restantes, todas as 500 unidades saíram das oficinas Shelby em preto. Do mesmo modo, existiam detalhes em cinza espalhados um pouco por toda a carroçaria.

close

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!

Banner Pocket Rocket 4