Os modelos Vanderhall chegaram a Portugal, e nós já os fomos conhecer!

Os Vanderhall são americanos, produzidos manualmente, e inegáveis objetos de admiração no mundo automóvel que prometem momentos únicos de prazer de condução.

São americanos, exibem um estilo “retro” mas com detalhes que não escondem o seu ano de nascimento. Caracterizam-se essencialmente pelas três rodas e pela sua montagem totalmente manual que obedece a critérios rigorosos e exigentes por parte do mentor que está por detrás da marca Vanderhall. E que mentor, já vos digo! Independentemente das sensações de condução que possam, ou não, transmitir… há que lhe reconhecer o mérito e rigor na conceção destes… triciclos!

Foi da cabeça, e das mãos, de Steve Hall que saíram os modelos da Vanderhall e após cerca de oito anos de desenvolvimento. O fundador da marca, criada em 2010, foi também o responsável pelo desenho de cada um dos atuais três modelos, o Venice, o Carmel e o Edison2. Pelo caminho ficou o Laguna, a primeira criação de Hall. Já existe um protótipo que deverá ser o quarto modelo da marca e primeiro a fugir ao formato de triciclo. O Brawley será uma espécie de jipe 100% elétrico e que promete acrobacias bem para lá do comum para um automóvel de série, ao montar cada uma das quatro rodas para lá da carroçaria. Cada uma das quatro rodas terá um motor com cerca de 100 cv… controlados individualmente. Algo que só será confirmado, muito provavelmente, já em 2022.

Dessa forma, voltemos aqueles que estão atualmente ao alcance de “qualquer um”, e nós já estivemos ao volante de cada um deles, ainda que apenas no local que será a base da Vanderhall Portugal. Por enquanto ainda decorre a fase final de homologação para Portugal, pelo que ainda não nos foi possível arrancar para a estrada com um dos modelos Vanderhall.

Chegada à Europa, e a Portugal!

Desde criança que Steve Hall sonhava em criar o seu próprio automóvel. Algo com um desenho retro, “vintage”, mas numa nova plataforma capaz de suportar mais potência sem colocar em causa a segurança e prazer de condução. Mais ainda, capaz de oferecer alguns dos itens de conforto indispensáveis para os dias de hoje, como uma transmissão automática, sistema Bluetooth, cruise control, ou ainda bancos aquecidos, entre outros. Tudo isto sem esquecer o prazer de conduzir fazendo-o a céu aberto como numa mota, mas sem a necessidade de usar capacete devido à existência de um roll-bar.

Os Vanderhall, habituados ao clima americano, foram alvo de algumas alterações para conseguirem chegar à Europa!

Antes de chegarem a Portugal, os modelos tiveram que passar por rigorosos testes e consequentes alterações para poderem chegar à Europa. Devido ao pouco espaço disponível no compartimento do motor bem como às temperaturas mais altas face ao clima americano, foram feitos ajustes até se chegar à receita final. Foi colocada uma bomba de água com maior débito, outro radiador, novas transmissões e ainda não menos importante, foi colocado outro óleo no motor, sem o qual a marca retira a garantia. Pelo caminho partiram-se três motores, mas os exigentes testes no deserto com temperaturas altas transmitiram a confiança necessária para que os Vanderhall pudessem chegar à Europa e circular com a fiabilidade necessária. Até ao momento a marca não registou qualquer problema relacionado com estes temas.

A Portugal (e Espanha) os Vanderhall chegam pelas mãos de Rui Santos, um entusiasta do mundo automóvel e amante dos Vanderhall que tem agora a representação da marca nestes dois países, e com quem estivemos à conversa. Rodeados não de um nem dois nem três, mas sim oito Vanderhall (cinco dos quais já vendidos) fomos conhecendo alguns detalhes que fazem parte da história da marca e da criação de cada um dos modelos.

Os modelos Vanderhall são contruídos num material compósito próprio que os torna leves, resistentes, mas a um preço longe de outras soluções que os colocariam a um preço completamente proibitivo, como por exemplo a fibra de carbono.

Gama atual… em Portugal!

Chega de conversa e vamos perceber o que está por baixo do desenho arrebatador de cada um dos modelos. O Vanderhall Venice representa atualmente a entrada de gama. Com 1,75 m de largura, 3,65 m de comprimento e um peso inferior aos 700 kg, o bloco 1.5 litros de quatro cilindros da GM com 194 cv de potência confere-lhe uma relação peso/potência de 3,41 kg/cv. O binário de 275 Nm é entregue às rodas dianteiras através de uma caixa sequencial de seis velocidades. Na gama Venice existem ainda duas versões de topo, o GT e o GTS. O primeiro disponibiliza duas combinações de cores distintas e detalhes no equipamento, já o segundo caracteriza-se essencialmente por montar um sistema de travagem Brembo em jantes de 19″, ao passo que todas as outras versões montam jantes de 18″.

Em ambos os modelos, Venice e Carmel, a gama é composta pelas versões GT e GTS como topo de gama

De seguida temos o Vanderhall Carmel. Apesar de montar precisamente o mesmo bloco 1.5 litros de quatro cilindros com 194 cv, o seu peso mais elevado (aprox 725 kg) atribui-lhe uma relação peso/potência ligeiramente superior. Ainda assim, 3,72 kg/cv. A principal diferença face ao Venice é no espaço interior para os dois ocupantes bem como na existência de portas. O interior é consideravelmente mais largo. Para além disso, o modelo vem de série com um tejadilho removível. Da mesma forma as versões GT e GTS oferecem mais equipamento e no caso do GTS o sistema de travagem Brembo. Com este, o Vanderhall discutiu a melhor travagem com modelos como o Porsche 911 GT2, entre outros. Todas as versões Carmel montam jantes de liga leve de 19″.

Estão ainda disponíveis alguns opcionais e várias opções de cores para os bancos, e materiais para os volantes que de série são em madeira. No geral, e no breve contacto que tivemos com os modelos, os mesmos transparecem uma imagem cuidada, com atenção aos detalhes onde quase tudo parece ter sido pensado com um propósito e, acima de tudo, com muito bom gosto.

Preços já disponíveis

Sim, já temos todos os preços da gama Vanderhall para Portugal. O Vanderhall Venice começa nos 43 895€, seguido do Venice GT por 48 395€ e do topo de gama GTS por 51 995€.

Já o modelo mais espaçoso e “versátil”, começa com um preço de 53 695€ para o Carmel, 58 195€ para o Carmel GT e por fim, o atual topo de gama em Portugal, o Vanderhall Carmel GTS por 61 795€.

Contudo, está ainda disponível o Vanderhall Venice Blackjack por um preço mais acessível mas por tempo indeterminado. Trata-se de uma edição especial do modelo Venice que monta um bloco 1.4 l de quatro cilindros com 175 cv de potência associado também a uma caixa automática de seis velocidades. Para além do motor, existem algumas outras diferenças que permitem colocar o preço abaixo dos 40 mil euros. É o caso das jantes de liga leve, do para-brisas reduzido bem como os guarda-lamas mais pequenos. O Vanderhall Venice Blackjack está disponível por 38 795€ mas em número limitado de unidades.

Em suma, não se trata de um primeiro nem segundo carro, muito pelo contrário. Os Vanderhall são uma peça de coleção que fica tão bem na melhor estrada de montanha como na mais exuberante sala de estar em exposição. É, obviamente, para quem pode, e não para quem quer!

Disponibilidades e peças

A representação Vanderhall em Portugal parece ter sido pensada “com pés e cabeça”. A assistência é dada no mesmo local de venda por uma equipa de mecânicos que recebeu formação específica para tal. Para além disso, o representante garante ter já um considerável número de peças, superior até ao exigido pela marca, para poder dar suporte aos modelos que comecem a circular em breve em Portugal, algo que previsivelmente acontecerá durante o próximo mês de setembro. É também durante os próximos meses que já está prevista a chegada de mais 12 unidades Venice e Carmel para stock, pelo que o prazo de entrega também não será impeditivo para quem quiser adquirir um Vanderhall em Portugal.

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!

close

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!