Ao mais alto nível pela cidade da Guarda

A cidade da Guarda herdou todo um conjunto de patrimónios que a transformam num local de excelência para se descobrir, neste caso ao volante do Volvo XC40.

Muito me tarda meu amigo na Guarda

D.Sancho I

Não são só estas memórias, ou as da Balada da Neve que fazem esquecer o sítio. Quando chegamos, ao longe, sente-se a cidade. Devagar, o contorno do casario não esconde as montanhas em redor e só o ar, puro referenciado de uma cidade Bio Climática, sentido em cada respiração, envolve-nos nos afetos de um território preenchido com páginas infinitas de história. Páginas que se percorrem, ainda hoje, em cada testemunho vivo. São valores expressos no rosto das gentes, nas tradições religiosas, nos episódios da história, enfim, nas tradições de séculos.

Muito mais do que a cidade dos 5 F’s

A cidade da Guarda herdou todo um conjunto de patrimónios que a transformam num local de excelência para se descobrir um território extenso. Desde cedo que a cidade e a região assumiram um papel relevante na história do país. A linha do tempo atravessa mesmo milénios, hoje verdadeiros patrimónios de afetos consagrados ao ser humano. Se o papel defensivo nunca se ausentou do caráter emergente da nação, a partilha do espaço deu-se paulatinamente por entre a civilização. A afirmação geográfica transformou-a num exemplo de afirmação que continua a ser construída. Depois da sua fundação, no séc. XII, a afirmação reforçou-se com a transferência da sede episcopal da Egitânia de Idanha para a Guarda. São mais de 800 anos de história onde a partilha geográfica por várias culturas e religiões fortalecem os laços de pertença e de ecumenismo.

A Guarda é conhecida pela cidade dos 5 "Fs" - Forte, Farta, Fria, Fiel e Formosa.

E nada melhor do que começar a visita pelo ponto mais alto da cidade, a 1056 m de altitude a fazer jus ao cognome da cidade. Lá no alto, pontua a torre de menagem. Assente em granito, serve de testemunho ao passado medieval da cidade. Dali, contempla-se a paisagem que se perde nas serranias espanholas, nos contrafortes da Estrela, da Marofa, da Lapa…

Iniciativas que marcam a cidade

Um pouco mais abaixo, situa-se a Cápsula do Tempo Guarda 2050, um projeto que marcou os 40 anos do Escape Livre reunindo testemunhos de 40 personalidades sobre o futuro da região e da cidade,e que será aberta em 2050. O espaço é único até porque aí está a nascer um jardim com árvores que anualmente são plantadas. Respira-se ar puro… Do outro lado o relógio de Sol da Roamer, uma peça única no país.

Ali aos nossos pés está uma cidade que cresceu com o tempo. O recorte do casario é sublinhado pela luz que entra pelas ruelas da judiaria ou reflete do granito das paredes da Sé.

Sempre a descer, depressa estamos junto à Sé. O granito escrito em estilo gótico impõem-se na fé junto de uma praça que fica na fronteira da judiaria e mostra uma arquitetura particular onde pontuam os edifícios dos antigos Paços de Concelho, que data de 1570 e mostra um pouco da arquitetura do Renascimento, e o Solar dos Póvoas do séc. XVIII com estilo barroco. A pé, as descobertas marcam um ritmo muito pessoal onde se consegue desfrutar de todo um património que fica sempre perto. Com um pequeno passeio, podemos descobrir a muralha edificada e passar por entre as portas que dão acesso à malha histórica.

Obrigatória é uma passagem pelo Museu. Aqui se guardam memórias de afetos e artefactos de lugares que servem de ancora e de divulgação cultural.

Todo Terreno de excelência

O trajeto TT tem início junto ao estabelecimento prisional. Sem qualquer problema de maior para todo o tipo de veículos (algum cuidado na parte inicial quando chove ou neva), inclusivamente SUV de apenas duas rodas motrizes, a primeira parte do percurso percorre uma zona de planalto com umas verdadeiras vistas para o vale da Corujeira e para o enorme maciço central da Estrela.

A paisagem abre-se diante dos olhos num cenário único. Para realizarmos este périplo, utilizamos o Volvo XC40 D3 um dos melhores representantes do segmento agora classificado “Classe 1” nas portagens, na versão 4×2. De apenas tração à frente, o modelo revelou-se o companheiro ideal para este trajeto. A sofisticação do conjunto de elementos de segurança, do controlo de tração e do amortecimento permitiram uma mobilidade segura em qualquer parte do trajeto. Associado a um conforto de rolamento, qualidade de vida a bordo e disponibilidade de equipamento multimédia, permitiram-nos momentos de descontração condizentes com a tranquilidade da paisagem. 

Chegados a Vale de Estrela, pode descobrir um conjunto de pequenos monumentos, grandes no que representam, da igreja matriz a alminhas, de fontes romanas a capelas. Depois da localidade de Vale de Estrela, o caminho segue em direção a uma zona alta. Trata-se de um local privilegiado único no país, um Miradouro Hidrográfico que permite observar cinco bacias hidrográficas: Côa, Zêzere, Mondego, Tejo e Douro.

Tanto por descobrir na cidade da Guarda

Ainda mal refeitos com a paisagem serrana, vamos descer para a Vela. Depois de Aldeia do Bispo, outra mão cheia de emoções. A paisagem deixa desvendar muito para lá da Cova da Beira. Da Gardunha a Monsanto, das Terras raianas até à face sul da Estrela. O caminho serpenteia encosta abaixo até a um vale agrícola ainda pleno de variedade de culturas. Esta é uma zona microclimática que encerra uma história onde a extração de volfrâmio marcou décadas de atividade na ocupação humana.

A caminho do final do percurso, atravessamos a Benespera para depois subirmos para a Ramela pisando o velho trajeto que sempre levou as gentes até à Guarda. Outrora, o caminho serviu de elo de ligação para a cidade onde as diligências passavam a caminho do alto. Por entre um território agrícola, sobressai o projeto “Sabores e Tradições do Vale da Teixeira – Azeite”.

A revitalização do lagar de azeite dá enfase a todo um conjunto de tradições seculares do Vale da Teixeira. O sabor ímpar do produto dá corpo à qualidade da matéria-prima e permite a divulgação de todo um património cultural e etnográfico.

Onde não faltam as iguarias

Sabores da terra que se misturam com todo um património gastronómico onde a tradição é preservada. No prato desta viagem poderão saborear-se enchidos, cabrito assado no forno, arroz de pato passando pelos pratos de bacalhau. A pinga não poderia ser senão a melhor da região que encerra paladares regionais em territórios de diferentes castas.

Para quem gosta de levar consigo recordações, para além de todo o património cultural, pode escolher produtos típicos que perpetuam gerações, dos Cobertores de Papa à cutelaria passando por produtos regionais, do azeite ao pão, dos enchidos ao queijo da serra ou à castanha. Descobertas de história, paisagem, cultura, gentes mesmo à beira da cidade.

Restaurante “A Colmeia
Restaurante “Belo Horizonte
Restaurante “Simple
Restaurante “Aquarius
Marisqueira “O Caçador

Hotel Lusitânia
Hotel Vanguarda
Hotel Beira Serra
Pensão Aliança

autolusipires
in Escape Livre Magazine Nº73

Roteiro patrocinado por Volvo Car Group Portugal