Tração integral e permanente para novos Jeep PHEV

Os novos Jeep plug-in que foram revelados em Genebra garantem as aptidões 4×4 mantendo intacto o ADN da marca focado na evasão, aventura e liberdade.

A eletrificação dos automóveis já não é uma coisa para futuro, é o presente um pouco por todos os construtores. A Jeep não é exceção e levou a Genebra dois modelos Jeep plug-in, o Renegade e o Compass.

Se a solução plug-in já não é novidade e esteve presente um pouco por todos os espaços dos construtores em Genebra, com algumas marcas a revelarem quatro propostas como a Audi e a BMW, a Jeep conseguiu apresentar algo diferente.

Diferente na medida em que temos uma solução híbrida plug-in em dois modelos da gama Jeep, vocacionados para a evasão e aventura. A tração integral destes Jeep plug-in mantém-se, mas com algumas alterações face aos modelos apenas a combustão.

A Jeep optou por acoplar o motor elétrico ao eixo traseiro conferindo-lhe assim a tração necessária enquanto o motor a combustão, o novo 1.3 litros turbo a gasolina, fornece a tração ao eixo dianteiro.

A questão coloca-se de imediato. Então e quando o motor elétrico não tem carga, ficamos sem tração integral?

Tração integral permanente garantida

Durante o Salão de Genebra falamos com a Product Manager do Renegade e Compass para a EMEA ─ Europe, the Middle East and Africa ─ que nos explicou como tudo funciona. Ao contrário do sistema normal em que o eixo dianteiro está ligado ao traseiro através do diferencial, nos novos plug-in essa ligação não existe. O motor elétrico impulsiona o eixo traseiro e o motor a combustão o eixo dianteiro. O sistema está no entanto concebido para manter sempre uma reserva de carga na bateria de forma a que esta nunca chegue a zero. Desta forma é possível garantir sempre a tração integral, mantendo o ADN da marca focado na evasão, aventura e liberdade.

O ADN dos modelos Jeep está bem patente nestas duas novas versões, que mantém não só as capacidades como a filosofia da marca. Os dois novos modelos são inéditos nas soluções híbridas que apresentam, garantindo uma tração integral permanente. Para além disso, e para tirar partido dos 240 cv combinados entre os dois motores, os dois novos Jeep plug-in recebem um novo modo de condução Sport, para uma condução mais dinâmica


Daniela Neto – Product Manager EMEA

O modelo mantém o selo “Trail Rated”, comprovativo de que passou os mais exigentes testes de tração em estradas escorregadias, molhadas, lamacentas, com neve, e em declives acentuados.

PHEV melhoram aptidões Jeep

A responsável confirmou nos ainda que “nenhuma capacidade de off-road característica dos modelos Jeep é posta em causa com esta solução, pelo contrário, existe uma tração extra fornecida pelo motor elétrico e os dois eixos podem funcionar de forma independente, controlando o binário em cada eixo e melhorando as aptidões no fora de estrada

As novas versões Jeep plug-in para o Renegade e Compass estão equipadas com baterias colocadas por baixo do banco traseiro, e que permitem a carga em tomadas domésticas ou públicas. A solução permite autonomias de cerca de 50 km em modo 100% elétrico. A velocidade máxima é de 130 km/h. Visualmente os novos Jeep Plug-in em nada diferem, para além do badge na tampa da bagageira com a inscrição “4x4e” e da tampa adicional para carregamento do lado esquerdo.

Renegade e Compass PHEV

O conjunto do novo motor turbo a gasolina 1.3 litros com o elétrico, do qual ainda se desconhece a potência, proporciona uma potência combinada entre os 190 e os 240 cv. O Renegade plug-in consegue atingir os 100 km/h em apenas sete segundos e as emissões de CO2 situam-se abaixo das 50 g/km, o que é surpreendente. Os consumos combinados para ambos os modelos situam-se entre os dois e os três litros por cada 100 km. Será? É ver para crer!

O Renegade PHEV e Compass PHEV dispõem de painel de instrumentos específico e de ecrã de info-entretenimento atualizado, de modo a apoiar o condutor com informação relativa à condução diária em modo híbrido.

As baterias carregam a totalidade em cerca de duas horas com uma potência de 7kWh.

Os Jeep plug-in têm ainda um modo de optimização de recuperação de energia, para além do modo Sport. Existem ainda três modos de gestão da bateria. Um modo automático, um modo que privilegia a condução em modo elétrico, e outro que poupa a bateria para uma utilização posterior.

Depois de estabelecer um novo recorde global de vendas em 2018, a Jeep recebe 2019 como o ano de uma evolução que mantém a fidelidade aos valores fundamentais da marca há quase 80 anos. A Jeep, que foi pioneira em 1941 com o Willys-Overland, o primeiro veículo com tração 4×4, agora inova ao apresentar esta solução híbrida para os seus veículos 4×4. Os novos Jeep plug-in são os primeiros modelos 4×4 a garantirem uma tração integral permanente com emissões inferiores a 50 g/km e com aptidões melhoradas.

Siga-nos no Instagram e acompanhe as outras novidades do Salão de Genebra