Testámos o novo Hyundai i10. E não é o que parece!

O mais recente Hyundai i10 veio para agitar o mercado do segmento A. Quando muitos construtores já consideram este segmento em “vias de extinção”, outros surgem com propostas capazes de convencer até quem procura mais que um citadino.

Hyundai
Citadino
Hyundai i10 1.0 MPi AMT Comfort MY20

O mais pequeno da gama da marca de automóveis sul-coreana está de regresso e traz consigo novidades que podem fazer dele uma referência no segmento. Por fora, uma nova afirmação, com um design rejuvenescido e arrojado, onde viu alguns elementos ganharem novas formas. Por dentro, e apesar das reduzidas dimensões, acaba por ter muito espaço para viajar sem constrangimentos. Mais conectado, seguro e com equipamento de série ao nível de um segmento acima, terá o pequeno citadino a “genica” necessária para enfrentar os desafios do dia-a-dia?

Pequeno por fora, grande por dentro

O interior do novo Hyundai i10 foi completamente renovado e apresenta boas quotas em termos de espaço a bordo. É possível viajar com quatro adultos sem restrições de espaço para pernas ou cabeça – tendo cinco lugares homologados – sobrando ainda espaço para pequenos objetos um pouco por toda a parte. Mesmo assim, contam-se ainda 252 l de capacidade de bagageira – uma das maiores, se não a referência deste segmento. Rebatendo os bancos é ainda possível aumentar a capacidade da bagageira até aos 1050 l. Lamenta-se apenas que a chapeleira não suba ao levantar o portão, o que facilitaria em muito o acesso.

A montagem, recorrendo na sua grande maioria a plásticos duros, é robusta e dá boas notas de resistência à passagem do tempo. Mesmo nos pisos mais irregulares a suspensão e construção mostraram-se capazes de abafar as vibrações e ruídos do exterior, não havendo ruídos parasitas. O painel de instrumentos é analógico e muita da informação está disponível através de um pequeno ecrã TFT entre o conta-rotações e o velocímetro. Aqui, informações relativas aos consumos, sistemas de ajudas à condução e outras informações estão à distância de um clique no volante.

Mais conectado e…

Ao centro do tablier é possível encontrar um sistema de info-entretenimento de 8” de fácil interação, semelhante ao que encontramos noutros modelos Hyundai. Este permite a ligação a Apple CarPlay e Android Auto de série, através de uma única porta USB um pouco abaixo dos comandos da climatização. Na necessidade, existe ainda uma tomada de 12v perto desta para uso de outros equipamentos. Como opcional, é ainda possível equipar o i10 com estação de carregamento sem fios para smartphones compatíveis, sendo que nesta unidade esse não estava disponível. Aqui encontramos ainda o acesso à câmara de visão traseira de auxílio ao estacionamento (opcional, 335€) e navegação por GPS.

…mais seguro!

De forma a maximizar a segurança e tranquilidade a bordo, o novo Hyundai i10 vem equipado com os mais recentes sistemas de segurança, aos quais a Hyundai apelidou de Hyundai SmartSense. Estes, na sua maioria reservados até então aos modelos de segmentos superiores, passam a vir equipados de série no i10. De fábrica, o i10 vem equipado com sistema de manutenção à faixa de rodagem (LKA),travagem autónoma de emergência e até mesmo com o sistema de informação da velocidade máxima (ISLW).

Para além destes, e dos já usuais cruise control e limitador de velocidade, o i10 conta ainda com sistema de controlo automático dos máximos (HBA), que de noite e em viagens mais longas acaba por dar bastante jeito (e nota à parte, funciona muito bem). Sempre que cruza com outros veículos, o i10 intercala entre máximos e médios, evitando encandeamentos, sem que seja necessária a intervenção do condutor.

Hyundai Kauai Hybrid. Será mesmo a escolha mais racional ?

O Hyundai Kauai tem mais uma opção de motorização. Desta vez fomos testar o que vale a nova versão Hybrid com 141 cv. Será a melhor escolha da gama?

Read more

Um motor poupado

A equipar este Hyundai i10 está o grupo propulsor 1.0 MPI de 67 cv e 96 Nm de três cilindros, acoplado a uma caixa automática (AMT) de cinco relações. Bom, na verdade é uma caixa manual… robotizada! Porquê esta correção? Porque ainda que se traduza no mesmo, o funcionamento é bem diferente, e isso nota-se ao volante do pequeno i10. A disponibilidade dos 67 cv sente-se quando puxamos pelo pequeno bloco, mas em subidas ou ultrapassagens faz notar a falta de um “compressor”. Sem ele, é necessária alguma atenção (e calma) quando pressionamos o “pé direito”. São necessários cerca de 18 segundos para ultrapassar a barreira dos 100 km/h.

Não sendo isso um “obstáculo” em cidade, pode ser necessário em viagens mais longas. Numa utilização fora do ambiente citadino, o pequeno i10 mostrou-se à altura, sendo um bom aliado em viagens. O motor é capaz de manter uma velocidade cruzeiro e com consumos bastante comedidos. No total do nosso teste, e numa condução mista e em regimes descontraídos, foi-nos possível alcançar médias a rondar os 5,0 l por cada 100 km.

A referida caixa de velocidades, denominada de automática mas sendo manual robotizada, acaba por ser um pequeno detalhe a ponderar. Efetivamente oferece o conforto de não termos que usar embraiagem nem nos preocuparmos com as relações, mas as passagens são lentas e fazem-se notar com uma prolongada desaceleração. No entanto, e para uma utilização prática acaba por ser suficiente, nomeadamente para o segmento em questão, em que as ofertas escasseiam. Está também disponível uma caixa manual de cinco relações para quem gosta de assumir o comando. Para nós, essa seria a melhor opção!

Tudo tem um preço

O preço da unidade ensaiada começa nos 14 830€, que adicionando a pintura metalizada (370€) e a câmara de auxílio ao estacionamento traseiro (335€) perfaz um total de 15 535€. No entanto, é possível baixar este valor em cerca de 1000€ com campanha de financiamento a decorrer. Tal como os outros modelos, o i10 inclui 7 anos de garantia sem limite de quilómetros.

Para uma utilização mais polivalente do i10, e se estiver disposto a despender mais 4000€ face à versão ensaiada, existe uma outra equipada com o 1.0 T-GDi de 100 cv. Embora pareçam valores elevados para o segmento, tudo se prende com o facto do Hyundai i10 incluir equipamento de série que noutras marcas é opcional.

Para quem procura um automóvel capaz de enfrentar os desafios do dia-a-dia, com consumos dignos de um citadino e que consegue até enfrentar um mercado mais abrangente de segmento acima, acreditamos que o pequeno Hyundai i10 está à altura. E será que os citadinos terão mesmo os dias contados? A Hyundai acredita que não. E a fasquia está cada vez mais elevada.

Hyundai i10 103

Conclusão

O mais recente Hyundai i10 trouxe consigo muito mais que apenas um novo visual. O amplo equipamento de série, ajudas à condução e um excelente sistema de info-entretenimento fazem dele uma referência no segmento. Tirando o conjunto motor-caixa que acabam por ficar um pouco aquém da expectativa mas que proporciona consumos comedidos, acreditamos que será uma excelente mais-valia para quem procura um citadino a um preço moderado.

Ficha Técnica

Cilindrada

998 cm3

Cilindrada

96 Nm

Binário Máximo

67 cv

Potência

Cilindrada

17,8 s

0-100 KM/H

156 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

5,2 l/100 km

Combinado

5,0 l/100 km

Registado

119 g/km

Emissões CO2

Cilindrada

14 830€

Base

15 535€

Ensaiado


Thumbs UpEquipamento de série. Consumos. Sistema de info-entretenimento.

Thumbs DownCaixa de velocidades. Plásticos interiores.