Mercedes-Benz E300de – O plug-in certo!

A versão E300de da Mercedes-Benz é a prova de que a solução plug-in faz todo o sentido, mais ainda se for um plug-in Diesel!

Já são poucos os construtores que resistem aos novos tipos de mobilidade, mas nem todos caminham no mesmo sentido. Uns acreditam nos100% elétricos, outros nos plug-in, e há ainda marcas que não querem saber de cabos. A Mercedes-Benz tem de tudo um pouco… até Diesel!

Rapidamente a marca da estrela percebeu que as soluções híbridas plug-in tinham uma grande aceitação principalmente devido aos benefícios fiscais, até porque os primeiros modelos do construtor com este tipo de solução montavam um bloco a gasolina que depois da carga das baterias terminar, apresentava consumos que ao longo do tempo iam dissipando a vantagem face ao comum Diesel.

Fugir aos padrões

Depois das extensas listas de espera a que a Mercedes-Benz teve de sujeitar alguns dos seus clientes, o construtor decidiu reformular a oferta deste tipo de proposta conseguindo agora juntar aos benefícios fiscais, os benefícios dos consumos.

Numa altura em que muitas marcas anunciam o fim do Diesel, a Mercedes-Benz está confiante de que o futuro passa também por aqui, motivo pelo qual a marca adaptou e aumentou a oferta híbrida plug-in com motorizações tanto gasolina como Diesel de acordo com o modelo. Se em algumas gamas podemos encontrar ambas as soluções, outras há que apresentam apenas uma delas, como é o caso do Classe E, em que a Mercedes-Benz acreditou que apenas fazia sentido nesta versão E300de, com um bloco de quatro cilindros Diesel e 184 cv acoplado a um elétrico com 122 cv, reunindo uma potência combinada de 306 cv e 700 Nm de binário. Ou seja, um plug-in Diesel.

Eficiência e eficácia!

É de destacar desde logo a sigla EQ Power na lateral, que não só identifica o tipo de solução desta Mercedes-Benz E300de, como faz referência á nova gama de produtos do construtor, provenientes da nova marca EQ. Se o auge da experiência de condução passa pelos valores referidos em conjunto com uma caixa de velocidades que já dispensa apresentações, a 9G-Tronic, e que fazem com que os 100 km/h sejam atingidos em menos de seis segundos, é verdade que a poupança de combustível também é uma realidade. Não só os 50 km de autonomia em modo elétrico são alcançáveis, como são possíveis médias inferiores a cinco litros(!) mesmo falando de um conjunto com mais de duas toneladas de peso entre motores e baterias.

Aos habituais modos de condução juntam-se os modos do sistema híbrido – Hybrid, E-Mode, E-Save e Charge, cada um com a sua função. Conjugando-se os diversos modos podemos ter um automóvel que se transfigura de acordo com o que pretendemos. Do suave e económico, ao potente e solícito. Para além disso existem pormenores inéditos e muito bem pensados, como a pressão no acelerador para que seja percetível para o condutor o ponto onde o motor a combustão terá que intervir ou a regeneração automática quando nos aproximamos do carro da frente. É possível atingir os 130 km/h sem intervenção do motor a combustão.

Uma referência!

A interação entre os motores é, e como seria de esperar, impercetível e muito bem conseguida primando por uma linearidade e conforto na condução. E já que falamos em conforto, esse é naturalmente um ponto comum a toda a gama Classe E e que não é exceção nesta Mercedes-Benz E300de, à semelhança do isolamento acústico, de referência no segmento.

Se o peso foi naturalmente incrementado, o que se nota no comportamento dinâmico e na travagem, a solução da marca para a colocação das baterias num automóvel que não nasceu para ser híbrido passou por prejudicar a volumetria da bagageira, que ganhou um degrau a meio ficando-se pelos cerca de 480 l.

O resto é aquilo a que o construtor nos tem habituado com um pacote tecnológico que passa pelos dois ecrãs ao centro totalmente operáveis pelos comandos no volante e uma qualidade de construção e materiais que em conjunto com muito espaço contribuem para o bom ambiente a bordo. Contra tudo e contra todos a Mercedes-Benz parece não acreditar no fim do Diesel. Ainda bem que assim é, porque com uma proposta como esta E300de, a marca só pode estar no bom caminho, provando que Diesel está aí para as curvas, tal como esta Classe E está para a poupança!

VEJA TAMBÉM: As oito novidades da Mercedes-Benz em Genebra

Ficha Técnica

Cilindrada

1950 cm3

Cilindrada

700 Nm

Binário Máximo

306 cv

Potência

Cilindrada

5,9 s

0-100 KM/H

250 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

1,6 l/100 km

Combinado

4,6 l/100 km

Registado

41 g/km

Emissões CO2

Cilindrada

72 900€

Base

75 903€

Ensaiado


Thumbs UpConsumos, qualidade e tecnologia a bordo

Thumbs DownCapacidade da bagageira, posição da tomada de carregamento