Jeep Compass, um SUV americano ao gosto europeu

Entre muitas outras propostas no segmento SUV, surge uma vinda do outro lado do Atlântico e mais a gosto do mercado Europeu. O Jeep Compass.

Jeep
C-SUV SUV
Jeep Compass Limited 1.6 Multijet

Entre muitas outras propostas num segmento com cada vez mais opções, surge uma outra vinda do outro lado do Atlântico. Introduzido no mercado em 2017, a segunda geração do Jeep Compass foi desenvolvida mais ao gosto europeu. Com uma variedade de motorizações para todos os gostos e apostando num design robusto e musculado, promete ser um SUV “acima da média”.

O Jeep Compass tem como base a plataforma “Small Wide” do “irmão” Jeep Renegade, e que serve também de base ao Fiat 500X. De carácter robusto e com linhas marcadas pelo legado Jeep, o Compass aposta forte no campo do design, que tanto no exterior como no interior tem tudo para resistir bem à passagem do tempo. A pintura bicolor “Cinzento Billet” com teto preto, ainda que neste caso não dê o melhor destaque às linhas do SUV americano, acaba por não destoar do restante conjunto e torná-lo algo discreto (existem SUV’s discretos?).

Na frente, uma grelha que remonta ao tempo do Jeep Willys destaca-se numa carroçaria musculada, que em combinação com as cavas das rodas de desenho angular dão o mote a um aspeto mais “Todo-o-Terreno”. Por outro lado, e neste caso, a unidade ensaiada equipa o 1.6 Multijet (Diesel) de tração dianteira, ficando a opção de tração integral apenas a cargo da versão 2.0. Em breve estarão ainda novas versões híbridas plug-in com tração integral, designadas 4xe. Saiba tudo sobre elas clicando neste link.

Mais umas surpresas escondidas…

À semelhança do Renegade, o Compass também esconde alguns “easter eggs“… Seja um Jeep Willys a trepar o pilar A ou um lagarto por baixo das escovas do limpa para-brisas, estas surpresas estão escondidas um pouco por toda a parte. Ainda que em menor quantidade comparativamente ao Renegade, estes detalhes mantém o legado criado por Michael Santoro sem esconder o “orgulho americano”. Algo que é espelhado numa estilização da bandeira americana nos altifalantes traseiros. E não, neste não encontrámos o “mapa do tesouro”. Se não sabes ao que nos referimos, lê o nosso ensaio ao Jeep Renegade.

Descobrimos (quase) todos os “easter eggs” do Jeep Renegade

Rumámos à aventura ao volante do Jeep Renegade. Num “mar” de concorrência, terá o SUV americano tração suficiente para lhes fazer frente?

Read more

Um interior discreto, mas robusto

No interior é possível encontrar algumas semelhanças com outros modelos Jeep. Além de espaçoso, o Jeep Compass Limited faz-se acompanhar de bons materiais a revestir boa parte do seu habitáculo. Os bancos em pele e tecido conferem um bom apoio, especialmente em viagens mais longas, ajudando a evitar a fadiga. A posição elevada mas bem posicionada revela desde logo o seu ADN típico de um SUV. O painel de instrumentos é misto entre o analógico e digital, juntando mostradores físicos com um TFT a cores de 7” multi-funções de fácil utilização.

Ao centro do tablier encontramos um sistema de info-entretenimento Uconnect de 8.4”, que inclui Uconnect Link para ligações a Apple CarPlay e AndroidAuto. A ligação é feita através de uma única porta USB que não permite um segundo carregamento de outro equipamento sem ser pela tomada de 12v. O painel da ventilação é semelhante ao que encontramos no Jeep Renegade, que inclui ainda o botão de auxílio ao estacionamento do Pack Parking (800€). Este é um dos únicos opcionais desta unidade, que inclui ainda sistemas de ajuda à condução e câmara auxiliar traseira. Esta, não tendo a melhor resolução face à concorrência, acaba por dar uma ajuda ao estacionamento dos quase 4,5 metros do Jeep em segurança.

Espaço para a família

Tanto na dianteira como na traseira é possível viajar sem restrições quanto ao espaço em altura ou para as pernas. E enquanto no habitáculo contamos com bastante espaço, na bagageira temos muita arrumação. Esta oferece 438 l de capacidade e dispõe ainda de espaço extra para uma roda suplente abaixo do piso (ao contrário do Renegade). Além disso, encontramos aqui mais uma tomada de 12v para uma necessidade extra.

Para os bancos traseiros é ainda possível encontrar uma tomada USB e outra convencional, que permite a utilização de pequenos utensílios domésticos ou até mesmo carregar um equipamento usando uma ficha doméstica. Estranhamente, o banco central, além de servir de apoio de braço e porta-copos, sempre que se encontra rebatido permite o acesso à bagageira.

Motor polivalente

A equipar este Jeep Compass encontramos o 1.6 Multijet (Diesel) de 120 cv e 320 Nm de binário, acoplado a uma caixa manual de seis relações. No caso, e como referido anteriormente, a tração é apenas dianteira (4×2), o que torna o Compass a melhor opção para quem não procura andamentos fora de estrada (ainda que o permita). A baixa rotação por vezes nota-se uma curta disponibilidade do motor, mas que é equilibrada quando a rotação faz atingir o seu binário máximo próximo das 1800 rpm. Já ao nível da caixa, além de direta e precisa, não sentimos a necessidade de estar sempre a recorrer a esta, pois tanto em andamentos mais apressados como em ultrapassagens, o binário mostra-se bastante disponível sempre que o pé direito assim o exige. No arranque, as primeiras relações mais curtas e um ligeiro poço no arranque existem alguma habituação.

Jeep Compass com novos motores e mais tecnologia

Novos motores, mais tecnologia e agora produzido em Itália, o novo Jeep Compass já está disponível em Portugal, com preços a partir de 27 750€.

Read more

O Jeep Compass revela ainda uma excelente relação no que toca a consumos. No final do nosso ensaio conseguimos valores na ordem dos 6,1 l/100 km, mesmo num registo despreocupado. No habitáculo, a sonoridade do motor e rolamento em estrada são bem abafados por uma boa insonorização, onde a suspensão acaba por ajudar.

A unidade ensaiada tem um PVP de 40 186€ que, acrescentando os 2200€ de opcionais (1400€ da pintura e 800€ do Pack Parking) equivale a 42 386€. Com campanha, o valor desce para 38 717€ (inclui despesas de legalização e transporte) e dispõe de quatro anos de garantia sem limite de quilómetros.

A ter em conta que, à semelhança do Renegade, o Compass partilha do mesmo defeito de ser considerado Classe 2 nas auto-estradas portuguesas, sempre que não disponha de um identificador de Via Verde.

Conclusão

Para quem procura um SUV espaçoso e robusto para o dia-a-dia de uma família e até mesmo para as aventuras do fim-de-semana, o Jeep Compass é o parceiro ideal. O 1.6 Multijet (Diesel) permite prestações e consumos bastante positivos, que em nada desapontam. Circular nas auto-estradas só mesmo com Via Verde e o preço pedido está um pouco acima da média mas, afinal trata-se de um Jeep.

Ficha Técnica

Cilindrada

1598 cm3

Cilindrada

320 Nm

Binário Máximo

120 cv

Potência

Cilindrada

11 s

0-100 KM/H

185 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

6,3 l/100 km

Combinado

6,1 l/100 km

Registado

157 g/km

Emissões CO2

Cilindrada

40 186€

Base

42 386€

Ensaiado


Thumbs UpConforto. Qualidade de construção. Consumos.

Thumbs DownQualidade da câmara traseira. Classe 2 em Auto-estrada (sem identificador).