Hyundai Tucson N Line. Um SUV familiar e(ou) desportivo?

Quando se junta a personalidade de um desportivo “N” com a robustez de um SUV, o resultado é este: o Hyundai Tucson N Line.

Hyundai
C-SUV SUV
Hyundai Tucson N Line 1.6 CRDi 48v

O SUV sul-coreano recebeu recentemente o tratamento da divisão “N”, e o resultado está bem à vista. De porte atlético e com pormenores exclusivos, o Hyundai Tucson N Line espelha bem as intenções da construtora em dotar os seus modelos de um dinamismo e comportamento dignos de um verdadeiro modelo “N”. E se é nos SUV que o mercado tem vindo a crescer, é com bons argumentos que se marca a diferença. Fomos perceber quais os do Hyundai Tucson na versão N line.

Hyundai Tucson N Line 146

A começar pela motorização

A alimentar este Tucson N Line está o 1.6 CRDi de 136 cv, acoplado auma caixa de velocidades DCT de sete relações. Nesta versão, o bloco Diesel ganhou uma ajuda extra fornecida por um sistema mild-hybrid de 48 V, com 16 cv e 50 Nm de binário. Por um lado, este tem como função gerar energia para alimentar os sistemas elétricos do Tucson. Por outro, auxiliar o motor de combustão no arranque e recuperação de velocidade, carregando a bateria de 0,44 kWh através da travagem regenerativa.

À semelhança do que verificámos no ensaio ao Hyundai i30 N Line, também aqui a suspensão sofreu uma ligeira afinação, permite uma condução bastante dinâmica tanto em estrada como em regime citadinos, sem adornar em demasia ou perda de contacto com o solo em curva. Ainda que a posição de condução seja mais elevada, a direção é bastante precisa e permite manobrar sem dificuldade os quase 4,5 metros do Tucson – até mesmo em cidade. Além disso, este vem ainda equipado com “Hill Descent Control”, para algumas aventuras fora de estrada (permite controlar a descida lentamente até 8 km/h). A caixa de velocidades mostrou-se também ela à altura do desafio, que melhor só mesmo com o auxílio de comandos sequenciais no volante para um controlo mais “manual”, especialmente em modo Sport.

Contudo, e dado que a disponibilidade do motor se fazia sentir sempre que o pé direito assim o exigia, nem mesmo o sistema híbrido permitiu alcançar consumos abaixo dos 7,3 l/100 km. Ainda assim, em ritmos mais descontraídos e sem trânsito, é possível alcançar valores bem próximos dos 6,5 l/100 km.

Um look desportivo

Comparativamente à versão “normal”, o Tucson N Line ganhou atributos que lhe dão uma atitude ousada e de carácter desportivo. Na frente, recebeu elementos exclusivos, como uma grelha em “cascata” em tom preto, em conjunto com umas aberturas laterais, que lhe conferem um porte atlético. As luzes de circulação diurna destacam-se também elas na frente, seja pelo formato ou pelo posicionamento. 

Um pouco por toda a parte, os elementos em tom preto estão presentes, e que acabam por condizer também com os vidros escurecidos de série. As jantes de 19” de série, também elas em preto, não destoam do conjunto, e o que adicionam em visual, não retiram em conforto. Já na traseira, ainda que as diferenças não sejam tão notórias, tanto o spoiler e difusor como a dupla saída de escape dão o mote final. E, para que não restem dúvidas, seja nas laterais ou na traseira é possível encontrar os distintivos “N Line”, retratando bem as inspirações deste SUV.

Hyundai Tucson N Line 245 1

Um habitáculo exclusivo e familiar

O interior, ainda que semelhante à versão normal, recebeu também alguns pormenores exclusivos desta versão. A pele com pesponto vermelho relembra que estamos perante uma versão mais “apimentada” do Tucson, tal como demonstra o distintivo na caixa de velocidades ou até mesmo pelos pedais em alumínio. Os bancos em pele e Alcântara (aquecidos) conferem um bom apoio lombar, e mesmo não sendo em formato “baquet” acabam por não destoar do restante conjunto – convém não esquecer que continua a ser um familiar.

Os materiais são de bom toque e montagem, não dando indícios de ruídos parasitas. De série nesta versão, está ainda um teto panorâmico com cortina, que permite iluminar um interior bastante escuro e realçar ainda mais os seus atributos. Atrás estão disponíveis três lugares sendo que, para maior conforto, convém limitar a dois. Na bagageira estão disponíveis 488 litros de capacidade, pecando apenas por perder alguma capacidade para as baterias do sistema híbrido. Ainda assim, por baixo do piso está disponível ainda um espaço extra para pequenos objetos.

E tecnológico

De série, este SUV sul-coreano equipa o sistema de info-entretenimento de 8” com navegação e acesso a Apple CarPlay e Android Auto, bastante intuitivo e fácil de usar. Além deste, sistemas de ajuda à condução como sistema de informação de velocidade máxima, permanência na faixa de rodagem, sensores de luz e chuva ou câmara de auxílio ao estacionamento são também eles de série. E até mesmo a entrada e ignição são feitas através de chave inteligente (Smart Entry & Start).

Mas se por um lado equipa sistemas recentes, por outro faz uso de outros algo datados, como o ecrã da climatização ou painel de instrumentos. Ainda assim, estes acabam por ser mais que suficientes para as necessidades do dia-a-dia. Noutro prisma, e num tom mais positivo, a destacar as inúmeras alternativas de conexão ou carregamento. Na frente é possível encontrar uma porta USB convencional, uma entrada AUX e duas tomadas de 12v. Para além destes, é ainda possível carregar um telemóvel por indução, num compartimento próximo da alavanca das velocidades. Para os bancos traseiros está ainda disponível uma outra porta USB (no mesmo local das saídas de ar da ventilação), para que não falte energia em viagem.

Tudo tem um preço

Esta versão do Hyundai Tucson tem um valor de 43 325€, já com a pintura metalizada “Vermelho Fiery” (opcional, 520€). Parecendo um valor algo elevado, convém ter em conta todo o equipamento de série incluído, que noutros construtores acaba por ser opcional. Tudo isto sem esquecer a garantia dos sete anos sem limite de quilómetros. Fora isso, a ter em conta que, sem identificador, o Hyundai Tucson paga Classe 2 nas auto-estradas.

Hyundai Tucson N Line 251

Conclusão

O Hyundai Tucson N Line não pretende ser um SUV desportivo, mas sim trazer ainda mais argumentos para ser uma das melhores opções no segmento. O carácter desportivo dado por inúmeros apontamentos exclusivos desta versão não passam despercebidos e o sistema híbrido acaba por dar um “empurrão” extra. Para quem procura um SUV familiar com aspeto desportivo e com um nível de equipamento de série imbatível, este é o C-SUV ideal.

Ficha Técnica

Cilindrada

1598 cm3

Cilindrada

320 Nm

Binário Máximo

136 cv

Potência

Cilindrada

11,8 s

0-100 KM/H

180 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

5,6 l/100 km

Combinado

7,3 l/100 km

Registado

146 g/km

Emissões CO2

Cilindrada

31 690€

Base

43 325€

Ensaiado


Thumbs UpEquipamento de série. Materiais. Espaço a bordo.

Thumbs DownPreço. Algum equipamento algo datado.