Dacia Spring! O primeiro elétrico, REALMENTE ECONÓMICO!

Depois de alguns quilómetros ao volante do Dacia Spring podemos afirmar que, finalmente existe um elétrico económico no mercado!

Dacia
Citadino
Dacia Spring Comfort Plus

E de repente… tudo mudou! São muitas as propostas 100% elétricas que o mercado já conhece, mas não há nenhuma como o Dacia Spring. Talvez o mais aproximado seja o Renault Twingo Electric, mas ainda assim são mais de 20 mil euros. No que a preço diz respeito, só Citroën Ami o consegue bater, mas naturalmente com muitas outras condicionantes que este Spring não conhece. Fomos para a estrada conhecer todas as vantagens, e desvantagens, do Dacia Spring, o elétrico que veio mudar tudo!

Ao nível do exterior não há muito a dizer sobre o pequeno Spring da Dacia. Uma carroçaria elevada (151 mm), pneus bastante estreitos em jantes de apenas 14 polegadas, e muitas parecenças ao Dacia Sandero. São 3,7 m de comprimento e apenas 1,57 de largura, o que salta desde logo à vista. O primeiro 100% elétrico da Dacia é claramente um citadino com vocações para enfrentar o quotidiano.

44cv! Suficiente?

Sem mais rodeios, vamos ao que interessa! Como é conduzir o Dacia Spring? Bom, a verdade é que depois de alguns quilómetros o pequeno Dacia 100% elétrico acaba por surpreender. É extremamente fácil de conduzir, ágil nas manobras do dia-a-dia, e despachado no stress do trânsito citadino. Afinal, é um elétrico! Os 44 cv do motor elétrico são mais do que suficientes para aquilo que podemos exigir dos cerca de 970 Kg deste Spring, mesmo quando transportamos mais um adulto e uma criança e mais algumas coisas na bagageira. Já agora, esta conta com cerca de 290 litros de capacidade, o que não sendo nada do outro mundo, também não o deixa ficar mal.

Regressando ainda à condução, naturalmente que nem tudo é positivo. O volante não tem qualquer tipo de regulação e a posição de condução, ainda que facilite a visibilidade em cidade, na minha opinião é demasiado alta sem que o banco permita outra regulação. Contudo, e como dizia o outro, “não é defeito, é feitio!”. Onde já não posso aceitar a mesma afirmação foi quando procurei o comutador do computador de bordo para poder averiguar consumos e quilómetros percorridos… Depois de algum tempo lá estava ele, dissimulado no painel de instrumentos… Já por si é deveras desagradável, mais ainda quando constatamos que existem oito botões sem qualquer função nos dois braços do volante.

O Dacia Spring é o primeiro automóvel 100% elétrico, realmente económico e eficiente!

Pub ADN energy MRec

Em contrapartida o painel de instrumentos tem grafismos simples e é de fácil leitura e até dá algum toque de modernidade ao interior do Spring. Da mesma forma, ao centro da consola encontramos o ecrã do sistema de info-entretenimento com 7″, igualmente simples de utilizar. Não falta navegação, bluetooth, e outras funções úteis como câmara de estacionamento traseira ou ainda ligação Android Auto e Apple Carplay. A climatização, onde se inclui o ar condicionado, tem comandos manuais e de generosas dimensões, por baixo.

Os botões para os vidros elétricos da frente e para ativar o modo “ECO”, que limita a potência a 30 cv e a velocidade a 100 km/h, encontram-se também na consola central. Os de trás também são elétricos e existe inclusivamente um botão de bloqueio para crianças. Entre os dois bancos encontramos então o botão rotativo que permite selecionar a marcha (D, N ou R).

Descomplicado

Não existindo, naturalmente, modos de condução nem de regulação da intensidade da regeneração, a condução do Dacia Spring é muito descomplicada. Lembram-se das Scooters? É igual! Não tem mesmo nada que saber. A direção é muito leve ainda que também não transmita muita informação, mas o ângulo de viragem é bom. Por fim, os bancos são o que podemos esperar de um automóvel com pretensões citadinas, pensado para curtas distâncias, e com um preço base inferior a 18 mil euros. Não são extremamente cómodos nem oferecem muito apoio.

Atrás o espaço não abunda, mas safa. As baterias estão colocadas por baixo do banco, e não por baixo do piso, logo as pernas não vão demasiado altas. A altura também não é um problema. O que mais se destaca é de facto a largura mais limitada.

Elétrico, mas económico!

Sejamos sinceros! O que torna a mobilidade elétrica atraente a nível de custos de utilização, é ainda o baixo preço da eletricidade face ao combustível, e não a sua eficiência. Isto, falando naturalmente de quando efetuamos o carregamento em casa. Por mais que possamos regenerar energia nas travagens e desacelerações, a eficiência é pouca.

Contudo, e como eu dizia no início deste teste, de repente tudo mudou. O Dacia Spring é o primeiro automóvel 100% elétrico, realmente económico e eficiente! Foi o primeiro modelo elétrico com o qual conseguimos registar consumos de apenas um dígito!

Durante o carregamento, o que não me agradou foi a posição da porta de carregamento quando aberta. A abertura é limitada e a porta acaba por ocultar a tomada, obrigando a uma maior ginástica para espreitar e ver onde inserir o cabo de carregamento. Algo que a Dacia pode rever na atualização deste Spring, e que aliás já está prevista para 2024.

ev_station

Bateria & Carregamentos

A bateria do Dacia Spring é de 26,8 kWh. Em corrente contínua (DC) a velocidade máxima de carregamento é de 30 kW, o que permite carregar 80% em pouco menos de uma hora, e a totalidade em menos de hora e meia. Já em corrente alternada (AC), uma carga completa pode demorar entre 13 horas (2,3 kW) e 4h50 a 7,4 kW. Para carregar a esta velocidade nós utilizamos uma solução da ADN Energy.

Falta referir ainda que a possibilidade de carregar a 30 kW em DC é um opcional com um custo de 550€, bem como o cabo para carregar nos postos públicos (350€). O preço base é de 17 000€ para a versão de entrada, e 18 500€ para esta versão Comfort Plus. De qualquer modo convém fazer as contas aos 3000€ possíveis de recuperar devido ao incentivo do estado.

A marca anuncia uma autonomia de 305 km em cidade e cerca de 230 km em estrada, com consumos a rondar os 12 kWh/100 km. Contudo, durante o nosso ensaio, consegui registar consumos inferiores a 10 kWh/100 km. Desta forma, ainda que não o tenha conseguido neste breve ensaio, acredito que é possível atingir a autonomia anunciada para cidade superior aos 300 km. Aliás, se a Dacia aceitar o desafio, estarei disponível para o provar.

Não falta sequer uma aplicação “My Dacia” que permite verificar a autonomia do veículo, e ativar ou desativar o carregamento da bateria, entre outros. Contudo, durante o ensaio não tive oportunidade de verificar o funcionamento.

Conclusão

É inegável que este Dacia Spring é o primeiro responsável pela democratização do carro elétrico. Não é naturalmente um automóvel familiar nem para grandes viagens, mas é um citadino de facto muito económico, muito prático e ágil para cidade, e com um preço muito acessível. Nesta versão Comfort Plus, nem no que diz respeito a equipamento sentimos a falta de alguma coisa. Um excelente aliado para a cidade por um preço mais do que justo.

Ficha Técnica

Cilindrada

125 Nm

Binário Máximo

44 cv

Potência

Cilindrada

19,1 s

0-100 KM/H

125 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

13,9 kWh/100 km

Combinado

10 kWh/100 km

Registado

Cilindrada

16 800€

Base

18 500€

Ensaiado


Thumbs UpConsumos. Agilidade. Preço. Opcionais.

Thumbs DownSuspensão. Comando p/ computador de bordo. Acesso carregamento.