Conduzimos o Aiways U5, o SUV elétrico “big brother” chinês 🇨🇳

Durante 4 dias testámos o Aiways U5 com um anão chinês escondido lá dentro. Tudo, mas mesmo tudo, sobre o novo SUV elétrico vindo da China.

Aiways
SUV
Aiways U5

Não só é a primeira marca chinesa a chegar ao mercado europeu, como este SUV é o seu primeiro modelo no mercado. De facto, o Aiways U5 não só é o primeiro, como atualmente ainda o único modelo disponível. Tem apenas uma versão de potência/bateria, e um nível de equipamento Prime. Fomos para a estrada com este último para avaliar tudo, ma mesmo tudo, sobre esta primeira proposta 100% elétrica de origem chinesa.

Antes da parte prática, convém deixar dois ou três pontos bem claros. Em primeiro lugar, apesar da Aiways ser de facto um fabricante Chinês com investidores públicos e privados, os modelos automóveis por si produzidos são pensados, desenhados e fabricados a pensar no mercado europeu, o que é percetível de imediato. Em segundo lugar, apesar de ter acabado de chegar a Portugal, a marca já está presente em alguns mercados europeus como Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Itália, Holanda, Suécia e Suíça. Por fim, dizer ainda que a marca conta para já com apenas uma plataforma. Contudo, apenas com esta plataforma que utiliza o U5, a marca pretende introduzir no mercado um novo modelo por ano. Sejam eles um SUV, um MPV, um Sedan ou um crossover.

SUV, 100% elétrico, e muito espaçoso!

Avançando para o modelo em questão. O Aiways U5 é um SUV do segmento D, 100% elétrico, e com a mira apontada a modelos como o VW ID.4 ou o Skoda Enyaq e que, segundo a marca, se encontra perfeitamente enquadrado a nível de segurança, conforto e tecnologia a bordo. Contudo, e ao contrário destes, este SUV chinês tem tração nas rodas da frente.

A primeira impressão é impossível não ser positiva. Porquê? Este U5 tem muito melhor aspeto do que possa parecer. Digo isto a nível interior claro. O exterior é discutível. Aí não me parece nada verdadeiramente impressionante, ao contrário do segundo modelo da marca já previsto para o próximo ano, o U6, mas também não o podemos acusar de nada em concreto neste aspeto. É um SUV, moderno e suficientemente tecnológico!

O que se destaca no exterior é o logotipo do construtor que desperta as atenções. Mais não seja, pela novidade! Os grupos óticos concentram-se na parte superior. Por baixo de um deles está, bastante dissimulada, a porta de carregamento. Em baixo existe uma pequena grelha mas a maior parte da superfície frontal é fechada e parece pouco aerodinâmica. Já agora, por debaixo do capot existe um pequeno espaço para os cabos com 45 litros. Na lateral, nada de transcendente, apenas os puxadores retráteis se destacam. Na traseira, grupos óticos modernos, um pequeno aileron e um grande portão onde se lê por extenso o nome da nova marca de veículos 100% elétricos, Aiways.

Interior enche o olho, mas…

Pub ADN energy MRec

Como dizia, é no interior que o Aiways causa uma boa primeira impressão. Há muito espaço, muita luminosidade, e os materiais agradam à vista, e ao toque. Os bancos enchem o olho e não falta tecnologia, nem sequer umas câmaras em modo “big brother”… mas já lá vamos!

O sistema de info-entretenimento tem um generoso ecrã central de 12,3″, embora algumas funções não sejam muito intuitivas. Não há navegação. A marca entende que, hoje em dia, a maior parte dos utilizadores usam os seus smartphones para a navegação. Até aqui tudo certo! O problema é que, apesar do Apple CarPlay estar presente, não temos Android Auto. Contamos apenas com uma interface que, através da instalação de uma aplicação no smartphone, permite espelhar o ecrã deste. Não só algumas funções são limitadas como obriga a manter o ecrã do smartphone ligado na aplicação que pretendemos espelhar como por exemplo o Google Maps ou o Waze para navegação. Safa? Sim, mas é muito pouco prático! Para além disso, não existe o Português, ainda…

Na zona inferior da consola central existe outro ecrã para a funções de climatização. Surpreendentemente este abre. Por trás temos uma plataforma para carregamento sem fios, uma ficha 12v e uma ficha USB. Contudo, a plataforma é bastante limitada nas suas dimensões, não comportando os mais recentes smartphones. Por outro lado, também não é fácil fechar o ecrã para poder operar a climatização se tivermos algum cabo ligado a uma das ligações. Para colmatar esta “falha”, o ecrã principal também pode comandar todas as funções da climatização.

CYBEX 22 banner Pub Portugal Zline

Em geral o interior do Aiways U5 agrada, mas a ergonomia em pontos a melhorar

Há vários espaços para objetos, mas falta um espaço na consola central para objetos que queiramos manter perto de nós. O espaço por baixo da consola central não se torna prático para guardar algo a que queiramos ter fácil acesso. Os porta-copos na consola central também são limitados. Uma garrafa de 0,33l é bem-vinda, mas esqueçam muito mais do que isso pois o diâmetro é reduzido. Temos um pequeno espaço para objetos por baixo do apoio de braço, e as habituais bolsas nas portas. Isto porque não existe porta-luvas, apenas uma espécie de ganchos para pendurar sacos.

Quando escurece, a iluminação interior em LED nos frisos da consola central e junto aos puxadores das portas, confere um bom ambiente a bordo. O mesmo acontece com os compartimentos das portas, forrados no interior com um material tipo alcatifa.

O modo “big brother” do Aiways U5 está sempre ligado

O interior do Aiways U5 tem mais do que uma câmara que está constantemente a vigiar o condutor. À mínima distração somos alertados, seja porque olhámos para o lado, porque pegámos no telemóvel, ou até porque bocejamos. É nestas alturas que o anão chinês que lá vai dentro acorda e nos alerta! Segurança? Talvez, mas é um tipo muito chato, acreditem…

E ao volante, como é este novo SUV chinês?

Antes de mais nada, temos uma boa posição de condução. Alta o suficiente como seria de esperar para o segmento. Depois, à frente do condutor temos uma solução diferente daquilo a que estamos habituados. Ao invés de um ecrã central para o painel de instrumentos, aqui temos três ecrãs. Um ecrã central horizontal com três grafismos distintos e onde temos a informação da condução, velocidade e ajudas à condução, e outros dois ecrãs laterais verticais. O objetivo é facilitar a leitura dividindo o tipo de informação em diferentes áreas.

Um dos ecrãs dá-nos as informações referentes ao computador de bordo com gráficos de consumos, informações sobre a bateria, e um diagrama com a pressão e temperatura dos pneus (à esquerda) e o outro (à direita) as informações referentes à multimedia e telefone. Por falar em telefone, este é mais um dos pontos a rever já que nunca se revelou fácil ter uma conversação em andamento, com os interlocutores a queixarem-se de ruído.

A construção em alumínio permitiu um peso total abaixo da média do segmento

Ao volante o SUV Aiways U5 tem uma resposta imediata, como seria de esperar de um e 100% elétrico. Os 204 cv são mais do que suficientes para os cerca de 1770 Kg de peso. Existem três níveis de regeneração selecionáveis através do sistema de info-entretenimento, muito pouco práticos de selecionar durante a condução. Até mesmo a cortina do teto panorâmico é operada apenas através do ecrã do sistema de info-entretenimento. Ou seja, a ergonomia dos comandos tem pontos a melhorar. Em contrapartida, os modos de condução (Eco, Normal e Sport) podem ser selecionados no volante. Existem contudo, inúmeros sistemas de auxílio à condução como sejam máximos automáticos, cruise control adaptativo com manutenção automática em faixa, alerta de colisão, alerta de ângulo morto, alerta de tráfego traseiro, limitador de velocidade, assistente de estacionamento automático, câmara 360º, sistema de reconhecimento de sinais de trânsito, entre outros.

A nível de dimensões são 4,68 m de comprimento e 1,87 m de largura para uma distância entre eixos de 2,8 m. A altura é de 1,7 m

Inesperadamente durante a condução ouvimos um ligeiro zumbido que, se inicialmente parece ser o ruído obrigatório aos carros 100% elétricos a baixa velocidade, depressa nos apercebemos que não se trata disso. Para além disso, e apesar da marca anunciar um bom coeficiente aerodinâmico, o que é certo é que o Aiways U5 parece ser uma “parede em movimento” no que diz respeito ao ruído aerodinâmico. Mesmo a velocidades bem dentro dos limites ouve-se ruído proveniente dos espelhos retrovisores e da frente.

Já a suspensão está bem calibrada garantindo conforto e uma boa absorção das irregularidades da estrada, mesmo com as generosas jantes de 19″ de série. Os bancos deste 100% elétrico chinês são confortáveis e enchem o olho, mas pedia-se que tivessem um pouco mais apoio para as pernas. O assento revela-se demasiado curto, tanta na frente como nos lugares traseiros. Aqui existe uma saída de climatização, uma ficha USB para ligação de dispositivos móveis, e um pequeno espaço para objetos.

O sistema Isofix naturalmente está disponível para cadeiras auto de criança, e as acessibilidade é boa. Sendo um 100% elétrico, contamos ainda com um fundo totalmente plano. Aliás, espaço é coisa que definitivamente não falta a bordo deste SUV chinês.

Já ao nível da bagageira, estamos novamente em bom plano. Temos 432 l de bagageira com 107 l adicionais., acessíveis através de um portão automático som sensor de pé. No total, são 1555 l com os bancos traseiros rebatidos. Na frente ainda há o já referido espaço com 45 litros.

Consumos do 8 ou 80

No que diz respeito a consumos, o SUV Aiways U5 é de extremos. Por um lado, em cidade, registam-se consumos na ordem dos 15 kWh/100 km, mas por outro, em ritmos mais elevados, os valores sobem para lá dos 25 kWh/100 km, facto que se justifica também pela pouca aerodinâmica do modelo. Com uma bateria de 63 kWh, a marca anuncia uma autonomia de 400 km (WLTP), o que é possível mas numa utilização exclusivamente citadina, onde a marca anuncia 505 km de autonomia, valores que, depois deste ensaio, nos parecem pouco reais. Já em viagem, a velocidades entre os 90 e os 120 km/h não é fácil conseguir uma autonomia de 300 km.

ev_station

Bateria & Carregamentos

Ao nível dos carregamentos o Aiways U5 fica ligeiramente abaixo da concorrência. A velocidade máxima de carregamento, tanto em corrente contínua (DC) como em corrente alterna (AC), é um pouco inferior. No primeiro caso podemos carregar até 90 kW, o que permite carregar este SUV dos 20% aos 80% em cerca de 35 minutos. Já no segundo caso, e se tivermos uma solução de carregamento como aquela que nós utilizamos da ADN Energy, podemos carregar até 6,6 kW, o que corresponde a cerca de 10 horas para um carregamento total da bateria de 63 kWh. Sem qualquer carregador específico, numa tomada doméstica a 2,3 kW são necessárias cerca de 27 horas para carregar a totalidade.

Na hora de repor baterias no Aiways U5, a tomada de carregamento está posicionada num dos cantos do para-choques frontal, numa posição demasiado baixa. Talvez por isso os chineses tenham decidido colocar a tomada CCS2 na horizontal, em vez de na vertical como é suposto. Resultado? Mais um pormenor muito pouco prático no dia-a-dia.

O Aiways U5 é disponibilizado com uma garantia de fábrica geral de 5 anos/150 000 km e de 8 anos/150 000 km para as baterias, e tem um preço para particulares de 49 188€ mas que, com campanha de financiamento, pode ficar em 46 728€ (exclusivo Financiamento Santander Consumer). Existe ainda um preço especial para frotas ou clientes empresariais, situado nos 35 990 € + IVA ou 33 990€ + IVA com recurso a Financiamento Santander Consumer.

Se queres saber mais sobre a Aiways, podes aceder aqui, onde demos mais detalhes sobre este primeiro construtor chinês a chegar à Europa.

Conclusão

Para primeiro modelo do construtor o SUV Aiways U5 não desilude. Revela bons atributos ao nível do espaço e conforto, qualidade de construção mais do que aceitável com materiais agradáveis e muito equipamento. Falta-lhe uma melhor ergonomia de alguns comandos, um sistema de info-entretenimento melhorado, e uma melhor insonorização que não deixe passar tanto ruído para o interior e que, acreditamos, encontraremos no próximo modelo do construtor, o U6.

Ficha Técnica

Cilindrada

310 Nm

Binário Máximo

204 cv

Potência

Cilindrada

7,8 s

0-100 KM/H

160 km/h

Velocidade Máxima

Cilindrada

17 kWh/100 km

Combinado

24 kWh/100 km

Registado

Cilindrada

46 728€€

Base

46 728€€

Ensaiado


Thumbs UpEspaço. Consumo em cidade. Equipamento. Andamentos.

Thumbs DownInsonorização. Consumo em estrada. Ergonomia de alguns comandos. Velocidades de carregamento. Posição da tomada de carregamento.