VW está preocupada. Ritmo de vendas de EV na Europa está lento!

A Volkswagen W está preocupada com o ritmo demasiado lento das vendas de veículos 100% elétricos no Velho Continente.

A VW está preocupada com o ritmo demasiado lento das vendas de veículos 100% elétricos. É verdade que é um segmento em ascensão, mas o ritmo “saiu dos trilhos”, palavras de Thomas Schmall, o patrão da divisão de componentes da Volkswagen. E se em Wolfsburg estão preocupados porque têm um investimento colossal para defender, imaginem o que se passa em outros grupos…

A VW está preocupada com o ritmo lento das vendas de modelos 100% elétricos. Aponta como uma das maiores razões para este desacelerar das vendas, nos últimos meses, o preço da energia.

VW FABRICA ZWICKAU 1

VW está preocupada com as vendas de modelos 100% elétricos

A preocupação não é com a falta de vendas. A Volkswagen tem encomendas superiores a 350 mil unidades e as vendas fora da Europa (nomeadamente nos EUA) ajudam a mitigar o que se passa no Velho Continente.

Segundo informação de Thomas Schmall, o CEO da divisão de componentes da VW, as vendas europeias “estão fora do trilho”. Os modelos 100% elétricos representaram 6,8 % das vendas do grupo no terceiro trimestre, tendo as vendas crescido 25% para 366.400 unidades.

VW ID BUZZ17

Em declarações ao Automotive News Europe, aquele responsável explica que as vendas nos EUA “estão a acelerar um pouco mais depressa do que esperávamos nos últimos meses”. Portanto, a VW está preocupada é com o Velho Continente.

Esta aceleração por terras do Tio Sam está ligada aos incentivos que por lá estão a ser concedidos para reduzir os efeitos da inflação, por exemplo. A Volkswagen espera que a procura recupere, na Europa, a médio-longo prazo.

Volkswagen vai atualizar o ID.3 já em 2023. O preço também sobe!

A Volkswagen vai atualizar o ID.3, melhorando a qualidade e dando-lhe um estilo mais parecido ao do resto da gama VW. Mas será mais caro!

Ler mais

VW procura baixar preços dos EV

Pub ADN energy MRec

Estas declarações foram feitas no âmbito de uma vídeo conferência com Oliver Blume, o CEO do Grupo VW. Este anunciou uma parceria com uma subsidiária do Grupo Enel para criar uma infraestrutura de carregamento.

Desta forma, Volkswagen e Enel X Way vão investir 100 milhões de euros cada na Ewiva, que vai construir uma rede de 3 mil postos de carregamento até 2025. Tudo para tentar baixar custos, sendo que a VW está a lutar arduamente para baixar os preços das baterias.

Para isso está em busca de alternativas em termos de química que possam baixar o preço, significativamente, mesmo que com alguma perda de eficácia. Fugindo, também, aos materiais raros e a outros como o Níquel e o Cobalto. E tendo sempre esta ideia na mente: se fazemos entre 40 e 60 km por dia, para quê ter uma autonomia de 500 quilómetros? Ora há postos em todo o lado para carregar.

Podemos fazer em casa o carregamento. Será aceitável ter um carro elétrico com menos autonomia, mas mais barato? Será mesmo assim?