Depois da dureza do Rally de Portugal, segue-se o Rally da Sardenha

Das serras portugueses, para o coração do Mar Mediterrâneo. A caravana do WRC enfrenta esta semana as classificativas da ilha italiana.

O fim de semana português abriu a temporada de gravilha no mundial de ralis, e deixou a nu algumas fragilidades dos novos Rally 1. O calor e o muito pó dos troços do Norte e Centro do país foram um teste de esforço, que nem todos passaram com facilidade. A festa segue agora para o Rally da Sardenha, com as estradas a serem historicamente difíceis para piloto e máquina.

Rally de Portugal 2022: Kalle Rovanpera, um piloto de outro planeta, vence em ano de festa

O Rali de Portugal terminou após três longos dias que arrancaram em Coimbra com a primeira Super Especial e única novidade da prova de 2022.

Ler mais

Palco de emoções

O Rally da Sardenha, apesar de ser um dos mais recentes do calendário, tem já um historial bem recheado. Introduzido no mundial em 2004, substituindo o mítico Rally de Sanremo, a Sardenha tem oferecido momentos de grande emoção, com a certeza de um grande espetáculo, todos os anos. Foi nesta prova, aliás, que se registou a diferença mais pequena entre os pilotos presentes no pódio, apenas 6,1 segundos, entre primeiro e terceiro.

Um dos pontos altos da prova é também o famoso Micky’s jump. Concorrente direto em espetacularidade com o “nosso” salto de Fafe, este ponto da classificativa de Monte Lerno, foi já palco de calafrios, como o espetacular voo de Chris Atkinson, com o seu Subaru Impreza. As fortes aterragens são também assim, uma boa fonte de souvenirs para os aficionados.

Na edição do ano passado, Sebastian Ogier impôs a sua lei sobre Elfyn Evans, com uma vantagem de 46 segundos face ao galês. Num rali cheio de incidentes foram muitos os percalços para os homens da frente. Dani Sordo, vitorioso na edição anterior, foi uma das vítimas, ao ver o seu Hyundai acabar virado sobre a porta, ainda no Sábado.

Rally 1. Os novos cuidados a ter para quem vai assistir ao Rally de Portugal!

Falta apenas um dia para o arranque do Rally de Portugal e, com ele, chegam os novos Rally 1, mais tecnológicos e com novos perigos.

Ler mais

Quem para Rovanperä?

O jovem prodígio finlandês tem tido um início de época demolidor. Após a vitória de Monsieur Loeb no mítico Rally de Monte Carlo, Rovanpera tem dominado todas as provas vencendo, na Suécia, Croácia e, claro, Portugal. Agora em terras italianas, o piloto da Toyota quer reforçar a sua liderança no campeonato, que já conta com uma vantagem de 46 pontos face ao segundo classificado, Neuville.

O belga, por seu lado, venderá a vitória cara, procurando fugir aos infortúnios que o tem assolado nas últimas provas e ter um fim de semana livre de percalços.

Do outro lado da assistência da Hyundai, Dani Sordo vai já ganhando a fama de especialista da Sardenha, com duas vitórias consecutivas em seu nome. O espanhol é, já por isso, apontado como um candidato à vitória e tudo fará para levar o seu Hyundai I20, ao lugar mais alto do pódio.

Uma nota ainda para Esapekka Lappi, que regressa aos comandos do Toyota Yaris Rally 1, em detrimento de Sebastian Ogier.

BANNER GUIA WRC