A versão 4xe da Jeep chega agora ao Grand Cherokee na variante Trailhawk

Depois do Renegade, Compass e Wrangler, é a vez do Jeep Grand Cherokee receber a versão híbrida plug-in, mantendo todas as capacidades offroad.

A quinta geração do Jeep Grand Cherokee avança rumo ao futuro com a introdução de uma versão híbrida Plug In, denominada 4xe, à qual a casa americana juntou uma variante Trailhawk destinada à máxima performance fora de estrada. Apresentando uma arquitetura totalmente nova, o Grand Cherokee chega á quinta geração com um reforço de tecnologia, estilo e qualidade. O modelo junta-se assim aos Renegade, Compass e Wrangler que já conhecem as versões 4xe.

Capacidades para fora de estrada.

O Grand Cherokee conta com a suspensão “Jeep Quadra Lift”, agora com amortecimento eletrónico semi-ativo. Contas feitas, proporciona 28,7 cm de altura livre ao solo e passagem a vau de 610 mm.

Para lá destas capacidades, naturalmente que o Grand Cherokee conta com o sofisticado sistema de tração integral Quadra Trac, disponível em três versões (Quadra Trac I, Quadra Trac II e Quadra Driver), além do sistema de gestão de tração “Selec-Terrain”. O sistema de tração integral tem caixa de transferências de duas velocidades com redução 2,72:1 e uma relação 47,4:1, para exercícios mais radicais. Mas há mais!

O Grand Cherokee 4xe oferece um sistema de desconexão da barra estabilizadora, algo inédito e exclusivo na classe e que proporciona um comportamento fora de estrada melhorado.

Trailhawk também disponível no Grand Cherokee

Tudo isto verte em favor da versão mais radical, o Trailhawk que oferece o sistema híbrido. Isso não impediu que o carro tenha a chancela dos modelos mais radicais da Jeep, o “Rubicon Trail”. Que, curiosamente, foi alcançado apenas com utilização de energia elétrica.

O sistema 4xe da Jeep oferece uma autonomia de 40 km em modo 100% elétrico e um consumo combinado de 4,1 l/100 km. Contas feitas, a autonomia é de 708 km. A unidade de potência tem 381 cv e 637 Nm de binário, tendo uma capacidade de reboque de 2720 kg. Há dois motores elétricos combinam-se com um bloco de quatro cilindros com 2.0 litros, a bateria de 17 kWh tem 400 volts, a que se junta uma caixa automática de oito velocidades.

O alternador convencional é substituído por um motor-gerador de alta voltagem, arrefecido por líquido. Ligado à polia da cambota do motor através de uma correia, o motor-gerador é capaz de fazer girar o motor para um funcionamento eficiente e quase impercetível do sistema start-stop, gerando, ao mesmo tempo, eletricidade que é depois enviada para o pack de baterias do Grand Cherokee.

Duas embraiagens em vez de conversor de binário

Na transmissão é montado um motor-gerador de alta tensão de maiores dimensões, substituindo o conversor de binário. Duas embraiagens gerem a potência e o binário dos motores térmico e elétrico.

Uma embraiagem é instalada entre o motor térmico e o motor elétrico. Quando o sistema funciona em modo exclusivamente elétrico, esta embraiagem está aberta para que não haja ligação mecânica entre os dois motores. Quando a embraiagem está fechada, o binário combinado do motor de 2.0 litros e do motor elétrico flui através da transmissão automática. Uma embraiagem variável montada após o motor elétrico gere o acoplamento com a transmissão para melhorar a manobrabilidade, bem como a eficiência.

O sistema 4xe do Grand Cherokee inclui, igualmente, o Integrated Dual Charging Module (ICDM). Este combina um carregador de bateria e um conversor DC/DC numa só unidade compacta e ainda um Power Inverter Module (PIM) de tamanho reduzido. Ambos estão instalados debaixo da carroçaria, protegidos por escudos em aço.

Todos os componentes eletrónicos de alta tensão são selados e à prova de água.

O sistema 4xe tem três modos de funcionamento. Hybrid (combina o motor a gasolina e os motores elétricos). Electric (prioridade à utilização da bateria até que esta fique sem carga). eSave (prioriza a potência do motor térmico, com o condutor a poder escolher entre “Battery Save”, “Battery Charge”).

A travagem regenerativa é uma parte integrante do sistema 4xe do Jeep Grand Cherokee. Quando o condutor pisa o pedal do travão, o sistema de controlo do propulsor aciona a potência máxima de travagem regenerativa disponível – até um máximo de 0,25 g – nos motores elétricos para provocar a desaceleração do veículo, ampliada pelo sistema de travagem hidráulica tradicional do Grand Cherokee.

Tração integral, como tinha que ser!

Com a tração 4×4 ativada, as quatro rodas do Grand Cherokee providenciam binário para a travagem regenerativa, maximizando a recuperação de energia. A energia elétrica proveniente da travagem regenerativa é fornecida à bateria para manter ou aumentar o seu estado de carga.

A funcionalidade Max Regen, selecionável pelo condutor, ativa uma configuração mais assertiva de travagem regenerativa. Isto quando não há qualquer pressão por parte do condutor no pedal do acelerador, ou seja, quando o veículo se desloca em modo coasting. A função Max Regen consegue desacelerar o Grand Cherokee 4xe de uma forma mais rápida do que a travagem regenerativa normal. Assim, gera mais eletricidade para a bateria.

No interior, destaque para o sistema de info-entretenimento Uconnect 5. Está baseado num ecrã de 10,1 polegadas, com uma velocidade de operação cinco vezes mais rápida e atualizações via internet. Depois, há um ecrã interativo para o passageiro de 10,25 polegadas, enquanto nos bancos traseiros existem dois ecrãs de 10,1 polegadas com Amazon Fire TV integrada.

O novo Jeep Grand Cherokee chega ao Velho Continente em 2022 apenas com a mecânica híbrida, e ainda não são conhecidos os preços.

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!

close

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!