Fórmula E – e-Prix Londres: Félix da Costa fica mais longe do título

Desta vez, em Londres, nem tudo correu da melhor forma para o piloto Português da DS Techeetah. Ainda assim, tudo em aberto para a última jornada da Fórmula E.

Um desentendimento com André Lotterer, amargamente relatado pelo piloto português, colocou António Félix da Costa mais longe de revalidar o título. Porém, ainda há uma janela de oportunidade na jornada final da Fórmula E. O piloto da DS Techeetah ofereceu a liderança do campeonato de construtores à equipa Cino-francesa com o nono lugar na primeira corrida do e-Prix de Londres. Na segunda manga, as coisas foram mais complicadas e o duelo com Andre Lotterer acabou da pior maneira.

O piloto português encurtou distâncias com a ajuda do “Attack Mode” e dos 35 kW oferecidos e tentou roubar-lhe o 12º lugar. Félix da Costa “enganou” o alemão e este não se fez rogado atravessando a pista e encostando o português ao muro das boxes.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Antonio Felix da Costa (@afelixdacosta)

A suspensão do monolugar de Félix da Costa partiu e o piloto da DS Techeetah abandonou quando tinha chegado ao ExCel em Londres no segundo lugar do campeonato de pilotos.

Uma manobra pouco leal por parte do alemão com Félix da Costa a dizer que “ultrapassei tantos carros nesta corrida graças ao ‘Attack Mode’ na chegada à Curva 1. Todos foram respeitosos e aceitaram a derrota, exceto o Andre.” E quando soube que Andre Lotterer recebeu mais dois pontos de penalização na licença, chegando aos oito, na sequência de outros incidentes, Félix da Costa desabafou “era esperado… é sempre o mesmo! Nem me lembro da última vez que ele terminou uma corrida com o carro intacto. Enfim, foi uma manobra suja, muito perigosa e antidesportiva.”

Tudo ainda em aberto

Com esta situação perfeitamente evitável por parte do piloto da Porsche, António Félix da Costa viu a revalidação do título ficar mais longe, embora não seja impossível pois há muitos pontos em disputa na jornada final.

No final da primeira corrida, Jake Dennis era um homem muito feliz. O piloto da BMW Andretti Autosports foi o primeiro piloto a vencer na pista britânica feita no ExCeL, uma pista mista outdoor/indoor, após ter usado o “Attack Mode” e os 35 kW extra oferecidos para levar Alex Lynn (Mahindra) a cometer um erro que proporcionou a ultrapassagem para a vitória.

Com o “Attack Mode” a funcionar durante oito minutos – quando nunca funcionou mais de quatro minutos na história da Fórmula E – para tentar obviar a clara incapacidade dos pilotos para ultrapassar, Jake Dennis conseguiu levar de vencida a corrida.

“Attack Mode” é tema principal

Apesar de ter errado ao não reagir, imediatamente, às ordens da equipa e falhar o “Attack Mode”. Mas há males que vêm por bem e o piloto da BMW conseguiu pressionar Alex Lynn e levá-lo ao erro. Bloqueou rodas e Jake Dennis levou para casa o troféu da vitória na primeira manga do e-Prix de Londres.

Na segunda corrida, foi maior a algazarra e a confusão, particularmente com Lucas di Grassi e com a equipa Audi a tentar uma “chica espertice”. Para lá da manobra pouco desportiva de Andre Loterrer que colocou fora de prova António Félix da Costa, a forma como Lucas di Grassi chegou á vitória levantou mais que um sobrolho.

O brasileiro estava no oitavo lugar quando o “Safety Car” entrou pela segunda vez em pista – devido ao incidente entre Lotterer e Félix da Costa – e Di Grassi “atirou-se” para a linha de boxes. Cumpriu os regulamentos e fez a via das boxes a 50 km/h, parou brevemente na sua box e retomou caminho, saindo das garagens no primeiro lugar!

Os comissários desportivos alegaram que o piloto não tinha estada tempo suficiente parado nas boxes e aplicaram-lhe um “drive thru”. A Audi entendeu que a penalização não era justa e não informaram o piloto campeão em 2016/17, pelo que Lucas di Grassi cruzou a linha de meta em primeiro com Alex Lynn (Mahindra) no segundo lugar.

Vitória para Alex Lynn

Allan McNish, responsável pela equipa Audi, tentou arrastar a FIA para a decisão sobre a penalização, mas a vontade dos comissários desportivos manteve-se e o “drive thru” foi convertido em tempo de penalização, caindo para o oitavo lugar e entregando a vitória, a primeira da carreira, a Alex Lynn.

O piloto britânico, afastado da equipa Mahindra para 2022, recolheu a sua primeira vitória na disciplina (quinta para a Mahindra) a que juntou uma “pole position” e um pódio na primeira corrida.

Nick de Vries (Mercedes) ficou em segundo, na frente de Mitch Evans (Jaguar), oferecendo ao holandês a liderança do campeonato com seis pontos de avanço sobre Robin Frijns (Virgin) e 14 pontos para Sam Bird (Jaguar).

António Félix da Costa caiu para o quinto lugar, a 15 pontos de Nyck de Vries, quando faltam as duas corridas do e-Prix de Berlim já nos dias 14 e 15 de agosto. Estão, ainda, 58 pontos em jogo (25+25 pontos das vitórias, 3+3 pontos da “pole position”e 1+1 pontos para a volta mais rápida) o piloto português ainda pode aspirar a ser campeão do Mundo de Fórmula E. Nas equipas, a Envision Virgin Jaguar está na gente da Mercedes EQ e da Jaguar Racing, que estão a, respetivamente, a sete e nove pontos.

Classificação Corrida 1

  • 1º Jake Dennis (BMW Andretti), 33 voltas em 46m50,048s;
  • 2º Nyck de Vries (Mercedes), a 5,341s;
  • 3º Alex Lynn (Mahindra), a 6,946s;
  • 4º Sebastien Buemi (Nissan), a 8,008s;
  • 5º André Lotterer (Porsche), a 10,699s; (…)
  • 9º António Félix da Costa, a 18,457s;

Classificação Corrida 2

  • 1º Alex Lynn (Mahindra), 30 voltas em 46,29,532s;
  • 2º Nyck de Vries (Mercedes), a 0,599s;
  • 3º Mitch Evans (Jaguar), a 6,257s;
  • 4º Robin Frijns (Audi), a 6,682s;
  • 5º Pascal Wehrlein (Porsche), a 9,212s;

Classificação campeonato de Pilotos

  • 1º Nyck de Vries (Mercedes), 95 pts;
  • 2º Robin Frijns (Audi), 89 pts;
  • 3º Sam Bird (Jaguar), 81 pts;
  • 4º Jake Dennis (BMW Andrfetti), 81 pts;
  • 5º António Félix da Costa (DS Techeetah), 80 pts;

Classificação construtores

  • 1º Envision Virgin Racing, 165 pts;
  • 2º Mercedes EQ Fornula E Team, 158 pts;
  • 3º Jaguar Racing, 156 pts;
  • 4º DS Techeetah, 148 pts;
  • 5º BMW I Andretti Motorsport, 143 pts;
close

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!