F1 GP Áustria: Verstappen vence facilmente e aumenta desespero de Hamilton

Na Áustria Max Verstappen levou a melhor pela 3ª vez consecutiva. Foi a 5ª vitória da temporada, aumentando a diferença para Lewis Hamilton.

A Red Bull aproveitou da melhor forma as duas corridas em Spielberg no GP da Áustria para vibrar duro golpe na Mercedes e no campeão em título, Lewis Hamilton. Terceira corrida consecutiva que termina com Max Verstappen no topo do pódio, trazendo para a Red Bull dias de festa e alegria e o convencimento que o título de 2021 vai ficar em Milton Keynes e não em Brackley.

Desde o GP do Mónaco que a Red Bull apanhou o comboio do sucesso e não há maneira de a Mercedes contrariar a cada vez maior velocidade dos carros da equipa de Christian Horner.

Para adicionar insulto ao desespero, a Mercedes está a ver os títulos escaparem por entre os dedos e está a ser absolutamente dominada pela Red Bull. E na Áustria, Max Verstappen venceu as duas corridas de uma forma absolutamente dominadora e sem qualquer chance de contestação.

Estiveram 62 mil pessoas em Spilberg, no GP da Áustria, para assistir a nova demonstração de força da Red Bull que, infelizmente, continua a não ter um Sergio Perez com um pouco mais de sorte ou de chispa. Contas feitas, Max Verstappen rubricou a quinta vitória da temporada, a 15ª da sua carreira.

As classificações

E até a deusa da sorte está a sorrir ao holandês: os mecânicos deram por um pequeno corte no segundo jogo de pneus e este já não foi para o carro de Verstappen. E assim a liderança no Campeonato de Pilotos de Max Verstappen alargou-se para 32 pontos (182 contra 150 de Hamilton) e a da Red Bull entre os Construtores agora cifrada em 44 pontos face à Mercedes.

Numa corrida sem história, a novidade foi o segundo classificado ser o Mercedes de Valteri Bottas. O W11 não andou, uma vez mais, bem na Áustria, os pneus nunca ajudaram a Mercedes e Lewis Hamilton passou pelo desagrado de ser ultrapassado por Lando Norris (McLaren Mercedes) e ficar fora do pódio. Desta feita, Bottas não foi o cordeiro sacrificial e com tudo isto, o campeão do mundo em título atrasou-se mais para Verstappen.

Ainda por cima, o holandês fez a “pole”, venceu e ainda levou para casa o ponto da volta mais rápida, num domínio absoluto que não foi mais evidente porque Sergio Perez andou fora de pista várias vezes no duelo com Lando Norris. Frustrado com a impossibilidade de, tendo nas mãos um carro vencedor, nem sequer lutar pelo pódio, travou-se de razões com Charles Leclerc e acabou por ser penalizado em 10 segundos. Viu a bandeira de xadrez em quinto, mas acabou no sexto lugar.

Quem tudo quer…

Porém, o quarto lugar de Lewis Hamilton no GP da Áustria tem uma explicação. Tentando aumentar o ritmo para lá do que o carro permitia, o piloto da Mercedes acertou no corretor da última curva, danificou o fundo plano e nunca mais o W11 ficou em condições.

Como referimos, Lando Norris ficou no terceiro lugar, mas a verdade é que o piloto da McLaren merecia o segundo posto, perdido com uma penalização de 5 segundos depois da luta mais ou menos agressiva com Sergio Perez. O britânico também abriu os braços e empurrou o mexicano pra fora de pista e os comissários, com destaque para Derek Warwick, não perdoaram.

Foi uma prova com muitas surpresas!

Para a McLaren foi um dia conseguido, pois Daniel Ricciardo ficou no sétimo lugar. O australiano continua longe de Norris e começa a agigantar-se o fantasma de ter passado ao lado de uma excelente carreira na Fórmula 1.

A Ferrari esteve melhor, mas demasiado longe dos primeiros lugares, continuando a via sacra que deverá terminar em 2022 com a nova regulamentação. Pelo menos é isso que os “tifosi” desejam.

Leclerc foi prejudicado por Perez e viu a Ferrari pedir-lhe para deixar passar Carlos Sainz. O espanhol estava com melhores pneus e conseguiu, na última volta, subir ao sexto lugar que acabaria por ser o quinto devido à penalização de Perez.

Erro de Vettel

Um erro na escolha de pneus levou Vettel a fazer duas paragens e isso colocou-o fora dos pontos e à mercê dos Alfa Romeo. E Kimi Raikkonen, velho conhecido de Vettel, acabou por se desentender com o alemão, piorando ainda mais a situação do Aston Martin de Sebastien Vettel.

Fernando Alonso (Alpine) ofereceu um vislumbre do que já foi e conseguiu passar George Rusell, negando ao piloto da Williams o primeiro ponto da temporada para a equipa de Grove.

A Alpha Tauri não conseguiu repetir os resultados da semana anterior e Pierre Gasly, saindo com pneus macios para a corrida, não foi além do 9º lugar. Já Yuki Tsunoda repetiu o mesmo erro duas vezes – desrespeitou a linha branca à saída das boxes e foi penalizado – e com isso acabou no 12º lugar.

A próxima prova do Mundial de Fórmula 1 será realizada no dia 18 de julho, o GP da Grã-Bretanha que se vai disputar em Silverstone.

close

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!