Toyota é a marca de maior confiança ambiental

A Toyota foi escolhida entre os leitores da Revista Selecções do Reader’s Digest, como a Marca de Confiança Ambiental, liderando na categoria Automóveis.

A TOYOTA é a marca com práticas de responsabilidade social e ambiental em que os consumidores portugueses mais confiam. Este é um dos resultados da votação dos leitores da Revista Selecções do Reader’s Digest, no estudo Marcas de Confiança 2020, que de forma espontânea (método de pergunta aberta) elegeram também no TOP 5, na área do Ambiente, o Continente (6%), EDP (3%), Delta (3%) e Valorsul (2%).

Para os consumidores, as preocupações ambientais são um fator decisivo e de diferenciação no ato de compra. Por isso, desde 2009, a revista Selecções do Reader’s Digest inclui no estudo Marca de Confiança a opinião dos portugueses sobre a aposta das marcas nesta matéria, a confiança ambiental. Este ano, no total, foram distinguidas 12 categorias pela sua política ambiental e de sustentabilidade social.

Este é o novo SUV da Toyota. O Yaris Cross!

A Toyota revelou o que tinha previsto para o Salão de Genebra. O seu novo B-SUV integra a família Yaris e garante robustez, versatilidade e… eficiência!

Read more

Toyota destaca-se na confiança ambiental

A Toyota lidera o ranking automóvel com 53% dos votos e vê assim reconhecida a sua aposta na área ambiental, com o lançamento de diversos modelos mais amigos do ambiente, seguida da Mercedes-Benz e da Tesla (ambas com 6%).

Ao votar nas marcas de maior reputação em termos ambientais, os portugueses valorizam três aspetos:  uma marca que opera ativamente na reciclagem e valorização dos resíduos (36%), uma empresa que fabrica produtos ou opera visando o menor impacto ambiental da sua atividade (34%), e finalmente uma marca que aposta na reutilização e adere a projetos de economia circular ou a programas de compensação da pegada ecológica.

Marcas preferidas Readers Digest

O questionário foi dirigido a 12.000 assinantes das Seleções do Readers Digest, sendo que 60% são adultos ativos com idades compreendidas entre os 30 e os 50 anos. A amostra é representativa dos portugueses, nas variáveis de género e idade. As questões são de resposta aberta e imediata e não existe qualquer tipo de inscrição, pelo que as marcas apenas figuram no estudo se foram escolhidas pelos inquiridos.