Mustang Mach-E – Um novo rumo para a Ford

Mustang Mach-E. A marca americana volta a reinventar-se 55 anos depois de ter apresentado um dos modelos que ainda hoje faz jus ao símbolo que leva ao “peito”.

Em abril de 1964 foi apresentado na Feira Mundial de Nova Iorque um dos modelos de maior sucesso da Ford. Era o primeiro da sua linhagem e que ditava o enorme sucesso de um modelo, que em apenas 3 anos vendeu mais de 1 milhão de unidades. Volvidos 55 anos e em plena era tecnológica, eis que surge uma nova aposta da marca, munida de tecnologia de ponta e que promete não desapontar os mais fanáticos.

Nasce assim o Mustang Mach-E. Um SUV com um estilo de coupé inspirado nas suas raízes de muscle car, trocando o famoso motor V8 por motores alimentados a bateria. Conseguirá percorrer até 600 km com uma única carga (segundo regulamentação WLTP).

O Mustang Mach-E é um dos 14 modelos elétricos que a Ford irá introduzir no mercado europeu até ao final de 2020, o que simboliza o início de uma era eletrificada para a marca estadunidense, prometendo assim um futuro mais verde.

Uma nova geração, os mesmos ideais

O Ford Mustang Mach-E foi concebido sobre os mesmos ideais dos seus antepassados, mantendo uma silhueta que imediatamente nos faz lembrar… um Mustang! Um capot longo e curvas musculadas, um tejadilho curvado e uma traseira imponente, mantendo ainda alguns elementos de assinatura, que são a sua marca registada – como as luzes de barra tripla, tanto na dianteira como na traseira.

Outros elementos que marcam a diferença neste modelo são os puxadores das portas (ou, neste caso, a falta deles). A Ford trocou o “velhinho” puxador convencional por um sistema que chamou de “Phone as a Key” (ou em português, “telefone como uma chave”). Não sendo hoje uma novidade no mundo automóvel, faz a diferença num mundo cada vez mais digital.

A entrada no carro é feita através de uma ligação ao smartphone que, detetada a sua presença, destranca as portas e com o simples clique num botão no pilar B abre a porta cerca de 10 cm, o suficiente para colocar uma mão e abrir a porta.

Uma outra forma de entrar no carro (em caso de falta de bateria no telemóvel ou até mesmo na ausência do mesmo) é através do uso de um código. Este pode ser introduzido num teclado sensível ao toque no pilar B da porta, que permite destrancar o carro. Já dentro do carro é depois possível por o carro em marcha colocando um outro código no computador de bordo, tudo sem uma chave física.

Mustang com mais espaço

O facto do Mustang Mach-E ser elétrico e ter as baterias colocadas na zona inferior do carro permitiu à Ford desenhar um interior bastante espaçoso e capaz de proporcionar o conforto necessário até cinco passageiros e a sua respetiva bagagem.

Na bagageira contamos com 402 l de espaço de carga, aumentando para 1420 l com os bancos traseiros rebatidos. Além da bagageira, e pela inexistência de um motor de grandes dimensões podemos contar ainda com uma unidade de carga adicional com cerca de 100 lde capacidade.
Este espaço, na parte dianteira do carro, é suficiente para acomodar o equivalente a uma mala de viagem.

A Ford promete ainda boas prestações no que toca à dinâmica de condução, oferecendo três modos de condução exclusivos (Whisper, Engage e Unbridled) que se traduzem em alterações na capacidade de resposta, direção desportiva, iluminação ambiente e animações no computador de bordo.

Já o novo sistema de tração integral Mach-E 4 aplica o binário de forma progressiva e independente nos eixos dianteiro e traseiro, proporcionando uma melhoria na condução em terrenos escorregadios face à versão de tração de traseira.

Ford Connected Wallbox

Carregador
Tomada de carregamento na lateral

A Ford irá ainda disponibilizar uma wallbox (opcional) que irá permitir carregamentos domésticos mais rápidos. Isto permitirá alcançar uma autonomia de até 62 km por hora de carregamento – cerca de cinco vezes mais rápido que uma tomada doméstica europeia, que fornece apenas cerca de 14 km por cada hora de carga (exemplo para o Mustang Mach-E de tração traseira com extensor de autonomia).

Para retirar ainda alguma pressão durante as viagens, o próprio Mustang Mach-E irá aconselhando o condutor do estado da carga e dos pontos de carregamento mais próximos. Desta forma evita alguma preocupação desnecessária com a autonomia disponível até ao final da viagem.

Chega em 2020

O Mustang Mach-E chega ao mercado no final de 2020. Existirão opções de bateria standard e extensor de autonomia com tração traseira ou integral e com autonomias que podem chegar aos 600 km (WLTP). Com tração integral e extensor de autonomia o Mustang Mach-E deverá alcançar os 337 cv (248 kW) e 565 Nm de binário. Estará disponível ainda uma série limitada “First Edition” para a Europa, com extras de série exclusivas deste modelo.

Vista traseira do novo Ford Mustang Mach E GT Performance
Mustang Mach-E GT

Para o final de 2021, a Ford irá também disponibilizar uma versão especial com melhorias de performance, o Mustang Mach-E GT. Este permitirá alcançar a barreira dos 100 km/h em menos de cinco segundos. A potência estima-se que atinga os  465 cv (342 kW) e 830 Nm de binário.

close

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!

Subscreve a nossa Newsletter "Livre Trânsito"!